7 de novembro de 2008

Eleição de Obama nos EUA deixa militantes gays otimistas

Eleição de Obama nos EUA deixa militantes gays otimistas

Julio Severo

De acordo com o site homossexual MixBrasil, a “Associação Internacional de Lésbicas e Gays (ILGa, na sigla em inglês), se declarou muito satisfeita com a eleição do democrata Barack Obama para a presidência dos Estados Unidos. A entidade acredita que a vitória de Obama representa a abertura de uma via para a elaboração de uma nova política para os homossexuais e para o combate à Aids”.

MixBrasil revela também que Obama é favorável à aplicação de uma política de “combate” à Aids de uma forma mais liberal. Isto é, veremos o escândalo que já vem ocorrendo há anos: o dinheiro público que poderia e deveria ser destinado a graves problemas de saúde (como câncer, moléstias do coração, etc.) vai acabar nas mãos dos ativistas homossexuais.

Os militantes gays costumam se servir da maioria dos grupos de AIDS que, querendo ou não, acabam virando os grandes laranjas do movimento homossexual, captando elevadas verbas e recursos governamentais para sustentar todos os tipos de atividades gayzistas.

Alguns homossexuais estão enojados com a ganância do movimento homossexual, que usa todos os meios e canais para sugar os recursos estatais sustentos pelos impostos do povo trabalhador. O site homossexual A Capa revela a queixa deles:

“Stalinista. Foi dessa forma que o ativista José Araújo, diretor da AFXB (Centro de convivência para crianças que vivem com HIV/Aids em São Paulo), classificou alguns setores do movimento gay... ‘A fome de poder deles está sendo saciada pelo Programa Nacional [de DST/Aids]’, avalia Araújo. Para José Roberto Pereira, mais conhecido como Betinho, está acontecendo ‘um aumento cada vez maior da intervenção do movimento gay no movimento de Aids’. ‘Eu sou gay, não tenho o menor problema com gay, mas... existe uma espécie de estrangulamento do movimento de Aids com o crescimento do movimento gay’, acredita Betinho. Fundos importantes da Aids estão indo para o movimento gay e não estou vendo uma queda dos índices [da epidemia do HIV entre os homossexuais]’, avalia Betinho, um dos colaboradores do Projeto Bem-Me-Quer. (...) ‘O movimento de Aids está perdendo sua característica. Está virando um grande movimento gay’, lamentou, em outro momento, José Araújo, da AFBX.”

Não é, pois, por interesses de saúde que a militância gay tanto exige recursos para o “combate” a AIDS.

Considerando que Obama apóia publicamente a agenda gay, dá para se predizer com toda a segurança que ele vai investir muito nos programas de “prevenção” à AIDS.

Fonte: www.juliosevero.com

Outras notícias:

Médico homossexual portador do HIV confessa que abusava sexualmente de meninos

Autoridade da OMS confessa: Não há nenhuma epidemia generalizada de AIDS entre os heterossexuais

A maior organização gay dos EUA confessa a verdade: “o HIV é uma doença gay”.

Ativistas gays arriscam nossa vida — e somos obrigados a tolerar

Homofobia, Aidsfobia: o que virá depois?

Nem todos têm AIDS

Em defesa da homofobia

Começa julgamento de gays acusados de contagiarem parceiros com HIV

Nenhum comentário :