2 de março de 2012

Diretor de grupo anticonservador sofre extorsão de amante gay traído

Diretor de grupo anticonservador sofre extorsão de amante gay traído

Ativista gay trai parceiro, trazendo risco de escândalo para sua entidade inimiga de conservadores

Julio Severo
David Brock, fundador e diretor Media Matters, teve de pagar aproximadamente 1 milhão e meio de reais para seu ex-parceiro gay William Grey. Mas isso não foi o suficiente, e o caso está agora na polícia e nos tribunais.
David Brock, fundador e diretor Media Matters, organização ultra-esquerdista
Media Matters é uma organização ultra-esquerdista dos Estados Unidos dedicada a atacar organizações conservadoras, inclusive o WorldNetDaily, ou WND, cujos artigos sempre divulgo no meu blog.
A missão de Media Matters é levantar suspeitas, promover difamações muito bem orquestradas e lambuzar ao máximo a reputação de organizações conservadoras. É um comportamento tipicamente esquerdista ou homossexualista, conforme você preferir.
Agora, o diretor do Media Matters está envolvido num escândalo — que deveria deixá-lo ocupado demais para prosseguir seus chiliques e ataques aos conservadores. David Brock descartou seu antigo amante e arrumou um novo parceiro gay, James Alefantis, um empresário do setor de restaurantes em Washington.
O ex-amante William Grey, que viveu com o dono do Media Matters durante mais de 10 anos, foi tomado por uma incontrolável fúria gay.
Grey teria primeiro avisado Brock para atender às suas exigências num email de 2008. “Por favor, termine isso hoje mesmo, de modo que eu não desperdice meu tempo mandando um email a alguém — Biden, Coulter, Carlson, Huffington, Drudge, Ingraham,” Grey escreveu.
Num email de 2010, Grey ameaçou delatar o que ele presumivelmente viu como problemas financeiros do Media Matters dignos da atenção da Receita Federal e dos que faziam generosas doações para Brock.
“Esse negócio vai feder para você se você não resolver isso agora”, escreveu Grey.
A pior coisa entre gays é briga por causa de um novo namorado. Por que acha que a violência doméstica gay leva a tantos assassinatos — inchando a imaginação maldosa dos que querem atirar o rótulo de “crime homofóbico” ao primeiro sinal de gay assassinado?
Se a briga resultar em assassinato, aí a imprensa esquerdista atacará WND e outros conservadores com suas habituais acusações de incitação de “homofobia” como motivação para um assassinato cometido por outro gay.
Contudo, até o momento Grey apelou apenas para a extorsão.
Outros recorrem ao assassinato mesmo. E poderia chegar a isso, porque a segunda coisa pior é um gay cujas reivindicações não são atendidas.
Para evitar maiores dores de cabeça com o ex-parceiro, Brock lhe deu quase 1 milhão e meio de reais, extraídos da venda de sua casa de praia no valor de quase 3 milhões de reais. Mas o ex-amante quis mais, muito mais, provando conclusivamente que um gay reivindicante ou traído é insaciável, birrento, chiliquento, intolerável e intolerante.
Por causa das reivindicações insaciáveis do amante traído, o caso agora está na polícia e nos tribunais. Enquanto estão brigando, Media Matters presumivelmente ficará ocupada demais para atacar os conservadores e o meu site favorito: WND!

12 comentários:

Anônimo disse...

Mais um sinal do fim dos tempos. Ainda bem que existem aqueles que vigiam. Esse é o relacionamento gay que se quer sacramentar em detrimento da família verdadeira?! Se fosse um relacionamento heterossexual tal comportamento de revolta com o fim da relação jamais teria ocorrido.

Bruno Willian disse...

Hoje, sexta-feira, 02 de março de 2012, a justiça aceitou o direito de um casal gay registrar a filha, deu-se a corrida para a destruição da família e da humanidade. Acessem: http://www.brunowillian.com/2012/03/justica-concede-direito-casal.html

Leitora!!!!!! disse...

È verdade Julio, eles se matam e depois a culpa é da sociedade, eles mesmos devem ser homofóbicos por isso se matam rsrsrsr.

ana maria zaiden disse...

O Fim dos tempos já começou há muito tempo. É visível esse fim desde o momento que as famílias deixaram de ser célula-mater para se tornarem mero ajuntamento de pessoas que dizem se amar, mas cuja intenção é: se não der certo separa. Não existe pior artifício, desculpa e covardia para enfrentar as dificuldades. Não enfrentam as dificuldades e encontram na união estável a resposta para seus problemas e dificuldades. Não transformam a experiência de vida a dois em vicissitudes.

ana maria zaiden disse...

Fim dos tempos é não ter mais autonomia na educação dos filhos quando o governo quer submeter os nossos filhos a kit gay, lei anti-palmada e outros absurdos afora. Fim dos tempos é não poder dizer e assumir que se é contra o homossexualismo. Que podemos educar as crianças e pregar que o ato homossexual vai contra os ensinamentos e vontade do Altíssimo, sem ser por isso, acusado de discriminação, preconceito e homofobia. O que está acontecendo com a reação do rapaz traído é típico em todas as famílias, ou pelo menos, na maioria das famílias em separação. Esse é o “meio” do fim dos tempos. Estamos na metade do caminho. Veremos coisas piores. Infelizmente. Todos os acontecimentos no mundo mostram, nos revelam a proximidade desse fim. Que seja o fim dos tempos a nossa morte natural e a certeza do nosso retorno ao Pai do Céu. E isso depende do nosso comportamento diante da sociedade e do Justo Juiz. Um comportamento digno em que fazer a vontade de Deus não é tolice, mas é a única ambição que devemos ter. E tudo o mais nos será acrescentado.

ana maria zaiden disse...

"Olá Júlio Severo.
Percebi que o comentário está incompleto. Por algum motivo não está chegando. Tento mais uma vez a postagem".Grata.

Fim dos tempos é a televisão e seus programas anti-educativos abertos a todas as idades, pois na atualidade os próprios pais e mães permitem a liberdade na escolha dos programas pelos filhos. Com certeza são poucas as famílias que não deixam seus filhos assistirem a novelas e a essa aberração chamada Big Brother. Fim dos tempos é a quantidade de crimes contra mulheres submetidas a relações que não suportam mais, e, quando tentam por um fim a essa relação, a vida lhes é tirada de forma violenta e covarde.

Idevam disse...

um retrato fiel da "fidelidade" gay se é que iso existe em um relacionamento homossexual

MARIA disse...

O que é mal por si mesmo se destrói ao final das contas.

Anônimo disse...

Julio ler o que o ceboso José Dirceu do PT disse agora:http://holofote.net/ex-ministro-jose-dirceu-pt-diz-que-quem-da-guarida-a-certos-setores-evangelicos-presta-desservico-a-democracia/

Anônimo disse...

KKKKKKK


Quero mais é que se m...

Toma-te desgraçado esquerdista!

Kátia Tribiolli disse...

Fala sério! Se fosse uma mulher se daria por muito satisfeita com uma quantia dessas...
Esses homossexuais são uma piada mesmo! Como diz o artigo eles próprios se matam (matam o próximo parceiro de seu antigo parceiro) e nós é que somos homofóbicos?!?
Tenha santa paciência...
Misericórdia Senhor Jesus! Volta logo!!!

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

Júlio me responda uma coisa: em casos de violência doméstica gay quem gozará dos privilégios da lei Maria Penha?
Ou quem será atendido pela Delegacia da Mulher?