31 de março de 2016

A luta de Jean-Claude Van Damme contra trolls anti-Israel durante visita a Jerusalém


A luta de Jean-Claude Van Damme contra trolls anti-Israel durante visita a Jerusalém

Daniel K. Eisenbud
Comentário de Julio Severo: O ator Jean-Claude Van Damme sofreu uma montanha de comentários negativos depois que ele, postando uma foto no seu Facebook, disse “Jerusalém, Israel,” indicando que Jerusalém pertence a Israel. Depois da enorme pressão desfavorável, ele deletou “Israel.” Mas não devemos ser muito duros com o ator. Até mesmo os EUA, que são o maior aliado de Israel, nunca reconheceram Jerusalém oficialmente como capital de Israel ou mesmo como pertencente a Israel. Nem mesmo Ronald Reagan, o presidente mais conservador da história recente dos EUA, nunca fez esse reconhecimento. O motivo são as pressões de países muçulmanos e do Vaticano, que têm interesse que impedem que Jerusalém seja reconhecida como cidade histórica e natural de Israel. Enquanto essas pressões não terminarem, ninguém ousa reconhecer Jerusalém como pertencente a Israel. De acordo com o site DailyMail, o propósito da visita de Van Damme a Israel foi obter “orientação espiritual” num centro de Cabala, que é uma espécie de espiritismo judaico. Ele passou seu tempo em Israel estudando Zohar, o livro místico da Cabala. A reportagem a seguir é do jornal israelense Jerusalem Post:
Sem dúvida, Jean-Claude Van Damme consegue derrubar caras brigões de primeira ordem com um chute circular rápido ou um soco demolidor no queixo, mas esse autor que é conhecido como “Músculos de Bruxelas” aprendeu do jeito difícil em Jerusalém que lutar contra trolls anti-Israel na internet é uma estória completamente diferente.
Na terça-feira, durante sua estadia de cinco dias em Israel, o legendário ator de ação posou para uma foto aparentemente inofensiva do lado de fora da Cidade Velha usando um solidéu de Israel na cabeça. Na foto, ele havia colocado esta legenda: Shalom de Jerusalém, Israel!” em sua página de Facebook.
Foi aí que a encrenca começou.
Dentro de minutos, uma torrente de comentários coléricos inundou a página de Van Damme denunciando Israel.
“Você deveria dizer ‘salam da Palestina,’” escreveu Soufiane Benalla, que recebeu 1.269 curtidas. [Enquanto “shalom” é a palavra hebraica que significa “paz” nas saudações dos judeus, “salam” é a palavra árabe com o mesmo significado usada como saudação dos muçulmanos.]
“Jeruzalem [sic] não é de Israel, mas da Palestina,” acrescentou Isa Tubadan, acumulando 796 curtidas.
Um usuário de Twitter cuja tradução do árabe é “Allah Dararmeh” recebeu 146 curtidas depois de escrever: “Você está em Jerusalém, capital da Palestina, não Israel… Vá para a **** que ****!”
Salah Maaty recebeu 559 curtidas depois de denunciar Van Damme por visitar o Muro das Lamentações, onde ele usou um solidéu, rezou e deixou uma nota.
“Oi, Damme… antes vc era meu heroi… não sei sua religião… eu não estava interessado porque acredito que quem criou vc julgará vc por fazer isso… vi hoje sua foto ao lado do muro das lamentações em Jerusalém… vc perdeu o respeito de mim e milhões como eu… não discutiremos sobre esse caso… só uma pergunta lhe farei: QUANTO LHE PAGAM POR ISSO???” ele escreveu.
Enquanto isso, Hiba Abusharkh disse que ela não conseguia acreditar que o ator identificou a Cidade Velha como Jerusalém.
“Oh meu deus! O que? Israel? Olha, acredito realmente que você é um dos MELHORES atores, e verdadeiramente adoro ver seus filmes, mas quando li sua legenda nessa foto fiquei realmente deprimida! É Palestina, Palestina ocupada, não existe Israel, não vou discutir com você sobre esse fato, mas seus fãs palestinos estão realmente ofendidos com isso!” ela escreveu.
No entanto, havia também gente defendendo Israel, ainda que com muito menos apoio.
“Bem-vindo a Israel, Jean-Claude! Você tem muitos fãs aqui! Agora será que dá para você nos ajudar a identificar os terroristas?” escreveu Arsen Ostrovsky, ganhando cinco curtidas.
Shay Zagoury recebeu 106 curtidas depois de defender a foto, postando: “Sou um grande fã de vc Jean Claude Van Damme. Não dê atenção a esses idiotas que acham que Jerusalém é palestina. Aproveite suas férias.”
“Longa vida a Israel. Enquanto existir Deus, ele sempre protegerá Israel de todo esse ódio,” escreveu Netanel Medina, acrescentando “Shalom também para você, Van Damme.” Ele recebeu 85 curtidas.
Embora Van Damme parecesse ceder à maioria anti-Israel deletando a palavra Israel da legenda, ele deixou a imagem postada com as palavras “Olá de Jerusalém!!” com as hashtags #TeamJCVD #JCVD #MEGAPOSITIVE.
Até a tarde de quarta-feira, a foto havia atraído 128.000 curtidas, 2.448 compartilhamentos e 4.300 comentários contra e a favor de Israel.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do jornal Jerusalem Post: Jean-Claude Van Damme does battle with anti-Israel trolls during Jerusalem visit
Leitura recomendada:

30 de março de 2016

A Associated Press, o maior serviço noticioso do mundo, colaborou voluntariamente com os nazistas


A Associated Press, o maior serviço noticioso do mundo, colaborou voluntariamente com os nazistas

Agência noticiosa teve permissão de permanecer na Alemanha depois de assinar acordo com o governo nazista

(TIMES OF ISRAEL) — A agência noticiosa Associated Press colaborou voluntariamente com a Alemanha nazista, se submetendo às leis restritivas do governo nazista com relação à liberdade de imprensa e fornecendo aos nazistas imagens de seus arquivos de fotos para uso em sua máquina de propaganda antissemita e anti-Ocidente, revela uma reportagem recente.
Quando os socialistas nacionais [nazistas] ganharam o poder em 1933, todas as agências noticiosas internacionais foram forçadas a deixar a Alemanha. Todas, menos a Associated Press, cuja sede ficava [e ainda fica] nos EUA. A Associated Press continuou a operar no Terceiro Reich até 1941, quando os Estados Unidos entraram na 2ª Guerra Mundial.
De acordo com a historiadora alemã Harriet Scharnberg, a maior agência noticiosa do mundo só teve permissão de permanecer na Alemanha porque havia assinado um acordo com o governo nazista.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Report: AP willingly cooperated with Nazis
Leitura recomendada:

A ameaça real não é a extrema-direita. É a esquerda presunçosa! Quando se tornou aceitável usar canhões de jato de água em pessoas que defendem seu país e ao mesmo tempo fazer vista grossa à destruição da Europa?


A ameaça real não é a extrema-direita. É a esquerda presunçosa! Quando se tornou aceitável usar canhões de jato de água em pessoas que defendem seu país e ao mesmo tempo fazer vista grossa à destruição da Europa?

Katie Hopkins
Vamos entender os fatos claramente.
Uma marcha pela paz na Bélgica foi cancelada por medo de que o [grupo terrorista islâmico] ISIS poderia usá-la para lançar outro ataque em Bruxelas. As forças de segurança da Bélgica decidiram que uma Marcha contra o Medo, por mais que o tema tenha a ver com o que está acontecendo, seria imprudente porque o medo é baseado na verdade, e marchar não vai fazer o problema desaparecer.
Polícia belga dando à direita anti-islâmica tratamento de jato de água que nunca deu à esquerda pró-islâmica
Até onde posso dizer, a Marcha contra o Medo foi cancelada porque havia excesso de medo, e aconteceu um tumulto porque a polícia objetou a uma manifestação pacífica.
Há algumas coisas que noto em torno desses incidentes na Europa:
·         Primeiramente, os manifestantes anti-imigração são sempre mencionados como marginais. A linguagem em torno deles é sem exceção feia, apesar do fato de que eles estão protestando contra os próprios indivíduos que, usando coletes cheios de pregos e estilhaços, acham aceitável se detonarem perto de bebezinhos.
·         Eles são chamados de extrema-direita e conexões sem fundamento são feitas entre eles e Hitler, ainda que na Inglaterra quem tem mais hostilidade aos judeus são os apoiadores do Partido Trabalhista [de orientação socialista].
·         As gangues de amantes de imigrantes, fazendo vista grossa à destruição da Europa, nunca são mencionadas como extrema-esquerda. Eles são carinhosamente chamados de anarquistas, como se fossem adolescentes experimentando Death Metal e vegetarianismo.
Em Colônia, na Alemanha, 150 policiais comuns foram enviados para policiar os ataques de migrantes contra mulheres na Véspera de Ano Novo, resultando em 676 queixas criminais. Em comparação, 1.700 policiais especiais da tropa de choque com canhões de jato de água foram enviados para deter uma marcha subsequente do Pegida na cidade. [O Pegida é um movimento que protesta contra a islamização da Europa.]
Embora ache perfeitamente aceitável disparar canhões de jato de água em europeus, que estão determinados a defender seu país e cultura, a esquerda presunçosa acha inaceitável criticar os migrantes, terroristas ou extremistas que planejam os ataques.
Parece-me que há um abismo enorme entre o modo como a extrema-esquerda e a extrema-direita são tratados e noticiados, e um abismo muito maior entre europeus e populações estrangeiras, que não têm respeito pela cultura na qual entraram.
A esquerda está muito ocupada se prostrando diante dos direitos dos que escolheram entrar na cultura europeia, e a direita perdeu a liberdade de defender a cultura europeia na qual os migrantes escolheram entrar.
A polícia tem uma atração quase magnética de fazer policiamento em massa de eventos que previsivelmente não oferecem perigo — tais como uma Marcha do Pegida no centro da cidade —, mas é incapaz de defender os europeus da ameaça real de terror que todos os europeus sentem.
Falam sobre o crescimento da extrema-direita. Temo que a dominação da esquerda presunçosa e egocêntrica liderada por imbecis como Emma Thompson e Michael Sheen, que vivem em total conforto e segurança, seja muito mais ameaçadora e muito mais real.
Leitura recomendada:

29 de março de 2016

Por que tanta paixão socialista, Ariovaldo Ramos?


Por que tanta paixão socialista, Ariovaldo Ramos?

Julio Severo
Não podia dar em outra. Se um pastor espiritualmente equivocado elogia socialistas, os adeptos dessa ideologia elogiarão o pastor.
Anivaldo Padilha, Ariovaldo Ramos, mediador do debate, Magali Cunha e Magda Biavaschi. (fotos: Paulo Pinto/Agência PT)
Foi exatamente isso que aconteceu com Ariovaldo Ramos, que foi destacado hoje pelo site oficial do PT, que elogiou, na matéria “Evangélicos se unem para dizer não ao golpe,” alguns evangélicos que realizaram um evento em defesa do governo socialista de Dilma Rousseff. O evento, que ocorreu em São Paulo em 28 de março, foi organizado, conforme disse o site Vermelho, “pela ONG Missão na Íntegra, que reúne líderes em 25 estados brasileiros e é referência entre os evangélicos na defesa da chamada teologia da missão integral.”
O site do PT informou que o propósito do evento foi reunir “personalidades cristãs para… rechaçar o estigma ultra-conservador que recai sobre os evangélicos.”
“É um privilégio como evangélico e negro ter a possibilidade de lutar contra o golpe. Nós não podemos aceitar a reconstrução de uma senzala que ainda não terminamos de derrubar,” disse Ariovaldo, que foi mencionado pelo PT como líder do Missão na Íntegra.
“Somos conservadores com a nossa fé e progressistas na vida social,” acrescentou ele.
Entre os outros debatedores citados pelo site do PT estava Magali Cunha, professora na Universidade Metodista de São Paulo. Magali é uma figura conhecida nos espaços evangélicos esquerdistas. No ano passado, ela ajudou a organizar um evento liberal numa faculdade evangélica com palestrantes da Teologia da Libertação, inclusive Leonardo Boff.
No entanto, Magali começou a ganhar notoriedade nacional quando em 2013 o tabloide sensacionalista Genizah publicou uma matéria difamatória, de autoria dela, atacando o trabalho pró-vida da Dra. Damares Alves.
Outro debatedor do evento em São Paulo foi o líder metodista Anivaldo Padilha, que afirmou, de acordo com o site do PT, “que há diversos projetos de lei na Câmara dos Deputados para frear direitos LGBTs e que a tentativa de golpe é parte decisiva para alas conservadoras conquistarem a supressão de direitos sociais.”
O site Vermelho disse sobre o evento de Ariovaldo em São Paulo: “Será a segunda ação do grupo que lançou na última semana um manifesto público em defesa da democracia. O documento circulou pelas redes sociais e já conta com 4 mil assinaturas.”
O site do PT informou que Ariovaldo fez questão de ler o manifesto à audiência do evento.
Você pode conferir uma matéria sobre esse manifesto aqui. Conforme Ariovaldo disse em seu Facebook, o manifesto é a postura oficial da Missão na Íntegra, que é a entidade que mais promove a TMI (Teologia da Missão Integral) no Brasil, sobre a crise política brasileira.
O Vermelho comentou: “O manifesto foi alvo de duras críticas por setores ultraconservadores da igreja evangélica, que o acusaram de ser uma peça em defesa do atual governo Dilma e do PT. Segundo o pastor batista e líder da Missão na Íntegra, Ariovaldo Ramos, trata-se de uma peça em favor da legalidade. ‘O manifesto é a favor do Estado de direito, portanto, a favor de que tudo seja feito sob o estrito cumprimento da lei. A única forma de este manifesto ser a favor do governo é o governo estar estabelecido segundo o Estado democrático de direito’, rebate.”
O Vermelho também disse: “Ramos admite que há uma dissensão entre os evangélicos. ‘Sim, estão divididos em relação à manutenção ou não da presidente no poder.’”
O site do PT destacou a postura da pesquisadora metodista Magali Cunha, dizendo: “Sobre a tentativa de impeachment de Dilma, a pesquisadora foi enfática: ‘Impeachment está, sim, na Constituição, mas há condicionantes. Há de ter crime comprovado. A Dilma não tem qualquer processo de corrupção. Então é golpe.’”
Magali expressou também a opinião de que os “jornais O Globo, Folha, Estadão, as revistas Época, Veja e Isto É e, principalmente, as emissoras Globo e Globo News” estão a serviço do “golpe,” ajudando a aumentar a crise ao criarem um “marketing diário do pessimismo.”
Tanto o site do PT quanto o site Vermelho, que têm uma linha de orientação socialista, veem os adeptos da TMI como aliados para a manutenção do PT no governo.
Isso não é surpresa. Ariovaldo tem o DNA vermelho de seu pai espiritual, Caio Fábio, que em sua astúcia levou uma geração de evangélicos incautos aos pés de Lula e do PT na década de 1990. Ariovaldo herdou de seu “pai” a paixão pela TMI e pelo PT.
Caio, que não apoia mais o PT por ter perdido o apoio de Lula após sua queda no escândalo do dossiê Cayman, hoje assessora uma importante figura da TMI, Marina Silva, que ambiciona a presidência do Brasil. Marina é palestrante de destaque nos eventos do Missão na Íntegra.
Mas Ariovaldo prossegue no apoio ao PT, tal qual fazia seu “pai” no passado.
Quando líderes cristãos se esquecem de que seu chamado é estar disponível para todos (inclusive políticos bons e maus) para oração e aconselhamento no Evangelho e na Palavra de Deus, eles se tornam inúteis para o Reino de Deus e úteis para os reinos deste mundo.
Se Ariovaldo queria ser útil politicamente, ele poderia ter usado sua influência para combater a ideologia do aborto, do homossexualismo e do desarmamento imoral da família brasileira. Mas ele nunca o fez. Ele poderia pelo menos ter ficado calado em questões políticas e morais que ele não entende e ter usado sua boca apenas para proclamar o Evangelho do Reino de Deus. Mas ele nunca o fez.
Triste dia em que dois grandes sites de linha socialista — o site do PT e o site Vermelho — elogiam um pastor não por defender os interesses do Reino de Deus, mas dos reinos deste mundo.
Contudo, enquanto alguém está vivo, há esperança. Meu recado para Ariovaldo:
Ariovaldo, dê um golpe no diabo: deixe de pregar a favor do PT sob a capa de defesa da democracia. Vá pregar o Evangelho, inclusive para socialistas como Dilma e Lula.
Se você perdeu contato com esse Evangelho e seu Autor, vamos conversar. Estou disponível.
Leitura recomendada:
Leitura recomendada sobre TMI (Teologia da Missão Integral):
Leitura recomendada sobre a entidade Missão na Íntegra:
Sobre os protestos e crise brasileira:

28 de março de 2016

Spotlight: Expondo escândalos de pedofilia e escondendo escândalos homossexuais na Igreja Católica


Spotlight: Expondo escândalos de pedofilia e escondendo escândalos homossexuais na Igreja Católica

Julio Severo
Recentemente, assisti ao “Spotlight — Segredos Revelados,” um filme que expõe abundantes casos de pedofilia na arquidiocese de Boston, nos EUA. O perfil da maioria das vítimas, crianças do sexo masculino, indica casos abundantes de homossexualidade, mas a palavra homossexualidade foi usada de forma branda e rara no filme.
Spotlight
Qual é a razão para tal tratamento brando e frívolo? Você pode ver um trailer do filme aqui: http://spotlightthefilm.com/
Os escândalos na arquidiocese de Boston foram expostos quando o judeu americano Marty Baron, um novo editor do jornal americano Boston Globe, liderou uma equipe investigativa de jornalistas que começou, em 2001, a pesquisar e publicar sobre padres pedófilos acobertados por seus superiores. 
Baron descobriu que bispos na área de Boston mudavam os pedófilos de paróquia para paróquia em vez de exonerá-los ou deixar a polícia e os tribunais cuidarem desses casos. Desde então, escândalos semelhantes estão sendo descobertos no mundo inteiro.
De acordo com a Associated Press, o cardeal australiano George Pell, a autoridade mais elevada do Vaticano a testificar sobre o abuso sexual sistemático de crianças por parte do clero na Igreja Católica Romana, disse que o clero mais elevado mentiu para ele para acobertar abusos na década de 1970. Ele disse que ele foi enganado quanto às razões por que padres eram mudados de paróquia para paróquia.
Spotlight, um filme baseado em acontecimentos reais, relata que “249 padres e monges foram publicamente acusados de abuso sexual dentro da Arquidiocese de Boston.”
“Estima-se que o número de sobreviventes em Boston seja bem acima de 1.000,” diz Spotlight.
O cardeal de Boston responsável por fiscalizar esses casos e por mudar os padres abusivos de paróquia para paróquia foi, de acordo com Spotlight, promovido para Roma em 2002, bem no meio do escândalo público, para conduzir uma das igrejas católicas mais importantes do mundo.
O filme cândido relata que grandes escândalos de abusos semelhantes têm sido descobertos em muitas outras cidades dos EUA.
Oficialmente, a Igreja Católica nunca disse que os escândalos expostos por Spotlight são mentiras.
Não há dúvida de que o modo como bispos e outros supervisores administraram os casos de padres pedófilos (especialmente pederastas) foi um desastre monumental.
Entretanto, é um desastre igualmente monumental acobertar a conexão homossexual. Já que o Boston Globe e seu editor judeu talentoso não tiveram interesse em investigar essa conexão, talvez o movimento pró-vida, que é uma força importante no catolicismo americano, pudesse pesquisar e publicar sobre isso, primeiramente no contexto católico.
O movimento pró-vida tem tido uma capacidade elevada de registrar e desmascarar escândalos de clínicas de aborto por meio de agentes secretos. Eles fazem isso porque eles amam as crianças e querem protegê-las.
Muitos grupos pró-vida católicos focam seus ataques contra a ideologia de gênero, que prejudica as crianças. Mas a pedofilia (especialmente a pederastia) na igreja prejudica igualmente as crianças, principalmente porque é cometida num lugar que deveria oferecer proteção e elevada autoridade espiritual e moral.
Grupos e líderes pró-vida, não a mídia secular como o Boston Globe, deveriam ser os primeiros a expor crimes contra as crianças. Não só o aborto e a ideologia de gênero são uma ameaça às crianças, mas também a pedofilia (especialmente a pederastia).
Hollywood, clínicas de aborto e grupos homossexuais são lugares de depravação desenfreada. A depravação e o acobertamento são o que se espera deles. Mas instituições cristãs deveriam ter um padrão mais elevado e transparência, que é luz, de acordo com a ética cristã.
O Boston Globe fez um trabalho necessário ao expor padres pedófilos e superiores que os acobertam. Mas o elo faltante foi tratado de modo frívolo. A pedofilia é o termo amplo para estupro de crianças do sexo feminino e masculino. O termo apropriado para estupradores de crianças do sexo masculino, pederasta, nunca foi mencionado em Spotlight. Essa omissão é preocupante.
O Dicionário Merriam-Webster’s (versão Kindle de 2009) define “pederasta” como “alguém que pratica relação sexual anal, principalmente com um menino,” explicando que o termo original grego, paiderastēs, significa literalmente “amante de meninos.”
O Dicionário de Oxford (edição Kindle de 2010) define “pederastia” como “atividade sexual envolvendo um homem e um menino.”
O Dicionário Completo Webster’s de 1913 define “pederastia” como sodomia e “pederasta” como sodomita, um termo tradicionalmente usado para designar homossexuais.
Por isso, onde há pederastia, sempre há homossexualidade, e onde há homossexualidade a pederastia é inevitável. Está incluída no pacote.
Entretanto, as audiências teriam a impressão, assistindo Spotlight, que meninos são geralmente estuprados por padres, não por homossexuais.
O filme Spotlight deveria ter incluído o elo faltante. No entanto, o que esperar de liberais? Eles querem promover a agenda de gênero para as crianças e protegê-las não do homossexualismo, mas do Cristianismo, ao qual, graças à negligência de lideranças católicas, eles estão emparelhando com a pederastia, termo que está sendo divorciado de seu único parceiro natural e tradicional: a homossexualidade.
Por que a Igreja Católica tem sido tão negligente nesse assunto, eu não sei. Por que durante décadas ou mais ela não deu nenhum tratamento duro para homossexuais e seus escândalos no clero, protegendo-os de processos legais e cadeia, eu não sei.
O movimento pró-vida, um protetor das crianças, deveria ter seus holofotes não só no aborto e na agenda de gênero, mas também no escândalo enorme de padres homossexuais pederastas. Isso lhes daria autoridade moral para expor escândalos de pederastia acobertados de líderes e grupos que tratam os valores cristãos no mesmo esgoto de perversão sexual em que eles vivem ou toleram em seu meio. Eles teriam autoridade para dizer o óbvio: a pederastia e a homossexualidade andam juntas onde quer que estão, quer numa igreja, numa escola ou outro lugar.
Padres pervertidos precisam ser denunciados e presos, embora só cadeia seja um castigo muito pequeno para estupradores de crianças. Se católicos pró-vida não agirem rápido para proteger as crianças de pervertidos em seu próprio meio católico, Hollywood e outras forças esquerdistas continuarão a usar os escândalos homossexuais da Igreja Católica para desacreditar todos os cristãos conservadores e seus valores.
Leitura recomendada:

26 de março de 2016

Apóstolos lançam manifesto sobre jejum e oração pelo Brasil


Apóstolos lançam manifesto sobre jejum e oração pelo Brasil

Comentário de Julio Severo: Estou reproduzindo e divulgando no meu blog o manifesto de apóstolos por conter, mais que os outros, referências a jejum e oração. Mas, a exemplo dos outros manifestos, não citou a TMI (Teologia da Missão Integral) como a principal ideologia que move os evangélicos favoráveis ao governo do PT. Nesse sentido, como muitos outros manifestos, o manifesto apostólico depõe contra si mesmo ao pedir literalmente que “os responsáveis por crimes contra a Nação devam ser identificados e responsabilizados,” mas sem identificar a TMI ou pedir que seus promotores, que são grandes aliados do PT, sejam identificados. Aliás, um dos assinantes do manifesto apostólico é uma mulher que atua como cabo-eleitoral informal de Marina Silva, uma personalidade de destaque em eventos da TMI. Condenar o PT agora e eleger Marina depois é sair de um buraco e cair em outro. Destaco, porém, que entre os assinantes há líderes contra a candidatura de Marina. Mas o manifesto, que ganhou muito ao pedir jejum e oração, perdeu uma grande oportunidade de condenar publicamente a TMI. Eis o manifesto apostólico:

Manifesto à nação brasileira do Conselho Apostólico Brasileiro

Em face dos recentes acontecimentos no cenário político nacional, o CAB (Conselho Apostólico Brasileiro), constituído em 07 de março de 2005 e composto por líderes cristãos evangélicos que assinam o presente documento, juntamente com demais pastores, líderes e cristãos que há anos oram pelo Brasil e prestam relevante serviço em favor de nossa nação, buscando contribuir com a sociedade, a cultura, e o futuro do Brasil, torna público por meio deste manifesto seu posicionamento em relação ao contexto atual, conclamando a Igreja brasileira para jejum e oração.
Estamos absolutamente convictos de que o Senhor, nosso Deus, reina o tempo todo, sobre tudo e todos, sem perder o controle, pois “o governo está sobre Seus ombros” (Isaías 9:6). Cremos que Ele governa as nações e todo o Universo (Salmo 103:19), estabelece e remove reis e governos (Daniel 2:21), que a resposta certa e a solução necessária vêm do Altíssimo (Provérbios 19:21; Salmo 121:2) e que, se orarmos, Ele sarará a nossa terra (II Crônicas 7:14; Tiago 5:16 c).
Entendemos a importância do envolvimento de todos num esforço conjunto pelo bem da nação, das famílias e cidadãos brasileiros, em defesa dos destinos de nossa Pátria, do restabelecimento da ordem, da unidade nacional, da justiça e da paz (Romanos 14:17; Mateus 6:10), sem ignorar nosso papel profético, informativo, e educacional nos púlpitos a nós confiados pelo Senhor.
Todos, portanto, no temor do Senhor, declaramos que: 
·         Cremos na Igreja como Corpo de Cristo, que é sua Cabeça, Senhor e Salvador, e que ela, por esta razão, vive e sempre existiu sob regime Teocrático e nunca sob a influência de qualquer ideologia política (Efésios 1:22; I Coríntios 12:27; Efésios 5:23), não podendo, portanto, aderir a nenhuma ideologia contrária à fé cristã, ser indiferente diante da corrupção, da degradação da moral, da banalização da  ética e do decoro, e a leis que ferem a justiça social como um todo e contrariam princípios da Constituição Federal.
·         Cremos que, como cidadãos brasileiros, independentemente de nossa confissão religiosa, temos o direito e dever de participar da vida e das decisões políticas que determinam o destino da Nação.
·         Repudiamos todo silêncio por parte das esferas políticas e religiosas que ignoram a presente crise sócio-econômica que a Nação enfrenta pela carência de governo justo, bem como o posicionamento, ainda que dissimulado, favorável a ideologias iníquas, por parte de determinada vertente evangélica.
·         Repudiamos toda declaração e orientação que nominalmente reivindica justiça bíblica, mas que essencialmente camufla a defesa da injustiça instaurada.  
·         Repudiamos toda prática de corrupção, de omissão e manipulação da verdade, de iniquidade, de cleptocracia, abuso de poder, e toda forma de idolatria ao Estado.
·         Repudiamos toda elaboração e defesa de leis contrárias à família, à infância, à mulher, à moral e à decência.
·         Repudiamos os desvios de verba pública e os desmandos nas esferas de governo que fortalecem a desigualdade social enquanto aumentam a pobreza, e o descaso para com as áreas da saúde, segurança pública, e educação.
·         Repudiamos toda ação e tentativa de calar a voz da Igreja Cristã, toda intimidação e tentativa de impedir a nossa participação na vida política da Nação, iniciativas para torcer nossa fala e reais intenções relacionadas à mensagem do Evangelho à esfera pública em defesa da família, da infância, da moral, da coerência e do bom senso.
·         Repudiamos toda tentativa e ação de obstrução à execução da lei e às investigações de crimes denunciados contra a Nação, o patrimônio público, a Democracia e o povo brasileiro.
·         Repudiamos a cultura da impunidade, inaceitável em qualquer Nação Democrática, porém visível no cenário nacional. Defendemos que a Justiça e a Lei devam ser aplicadas em todos os casos e que nenhum cidadão deve estar acima delas.  
·         Repudiamos toda ameaça à paz, à estabilidade da Nação, e à segurança da população.
·         Repudiamos toda ação e tentativa de desarmonizar o Executivo, o Legislativo, o Judiciário, a Polícia Federal, e o Ministério Público, bem como ações e tentativas de usurpar ou obstruir sua autonomia.
·         Repudiamos todo plano e ação do engano e da mentira, com o fim de provocar rupturas na unidade da nação e da Igreja de Cristo no Brasil, assim como, repudiamos o uso da manipulação desavergonhada para a manutenção do poder a qualquer custo.
·         Não incentivamos o ódio, quaisquer posturas discriminatórias nem violência. Motivamos a oração e o jejum como instrumentos de ação espiritual daqueles que sabem que o Senhor julga a causa do necessitado e a injustiça dos que governam (Isaías 3:13; Salmo 96:13; Salmo 140:12).
·         Apoiamos a continuidade das investigações sobre corrupção, bem como as que já se realizaram até o momento.  Defendemos que o povo brasileiro tem direito a informação, e que os responsáveis por crimes contra a Nação devam ser identificados e responsabilizados sob as penas da lei.
·         Compreendemos que, a respeito do cenário nacional atual, o que há por trás de tudo o que nossos olhos têm visto e os nossos ouvidos têm ouvido é uma forte batalha espiritual pelo controle do País. Há oposição espiritual às promessas de Deus que permanecem vigentes em favor do Brasil (Isaías 55:11; Jeremias 29:11). Cremos que nosso País atravessa um período de juízo, mas que toda correção Divina produz frutos de justiça e paz (Hebreus 12:11). Cremos também que nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra principados e potestades (Efésios 6:10), mas que o Brasil pertence ao Senhor Jesus Cristo, por direito de criação e redenção, e que por isso, o Todo-Poderoso por fim se levantará e responderá a nossas preces.
Finalmente, irmãos e cidadãos, convocamos todos para que sejam reforçadas as orações e os jejuns em favor do Brasil. Que todos nós, cristãos e cidadãos brasileiros que cremos em Jesus Cristo, exerçamos nossa cidadania à luz das Sagradas Escrituras, engajados no labor da súplica, do quebrantamento e da fé, certos de que o Senhor Deus não trabalha com planos alternativos. Seus propósitos e promessas permanecem firmes e fiéis, assim como suas mãos, estendidas para salvar. Nosso Deus nos ouvirá e, no tempo devido, responderá com graça e misericórdia. Não percamos, pois, a esperança. Toda batalha espiritual nos leva a vitórias quando o Senhor está no comando. E Ele está!  
Mobilizemo-nos em fé, humilhemo-nos diante da potente mão do Senhor, e geremos, juntos, um real avivamento do Espírito Santo que provoque transformações visíveis e irreversíveis.
“Seja Deus gracioso para conosco, e nos abençoe, e faça resplandecer sobre nós o seu rosto; para que se conheça na terra o Teu caminho e, em todas as nações, a Tua salvação.” (Salmo 67:1, 2)
Pelo CAB e pelo Brasil,
Arles Marques – Comunhão Cristã – Igreja Apostólica. RAMC – Rede Apostólica de Ministérios Cristãos. – São Paulo/SP
Dawidh Alves – Igreja da Adoração – Rede Tabernáculos Brasil – São Paulo/SP
Ebenézer Nunes – Igreja Apostólica Batista Viva – Recife/PE
Francisco Nicolau – Igreja Batista das Nações – REBRAMIC – Rede Brasileira de Ministérios Cristãos – Valinhos/SP
Hudson Medeiros – Ministério O Renovo – Brasil de Joelhos – Brasília/DF
Jesher Cardoso – Missão Shekinah – Rede Apostólica da Aliança – São Paulo/SP
Joaquim José – Igreja Batista do Campos dos Afonsos – Rio de Janeiro/RJ
Luiz Scultori Júnior – Ministério Apostólico Terra Santa – Niterói/RJ
Neuza Itioka – Ministério Ágape Reconciliação – São Paulo/SP
Paulo Tércio – Igreja Apostólica Novidade de Vida – São Paulo/SP
Paulo de Tarso – Igreja Betlehem – Casa Apostólica Betlehem – São Paulo/SP
Rinaldo Seixas – Igreja Bola de Neve – São Paulo/SP
Sinomar Fernandes – Ministério Luz para os Povos – Goiânia/ GO
Valnice Milhomens – Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo – Brasília/DF
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Leitura recomendada sobre TMI (Teologia da Missão Integral):
Sobre os protestos e crise brasileira: