16 de abril de 2017

A Terra é plana?


A Terra é plana?

Dr. Danny R. Faulkner

Por que escrever sobre uma Terra plana?

Muitas pessoas provavelmente vão se perguntar por que é necessário escrever um artigo defendendo uma Terra redonda, ou, mais especificamente, uma Terra que é esférica. Entenda, a Terra poderia ser ao mesmo tempo redonda e plana se fosse em forma de disco.
Recentemente, tive uma conversa com algumas pessoas sobre um jovem cristão que elas conhecem que frequentemente argumenta que a Terra é plana. Veja bem, esse jovem não acredita realmente que a Terra é plana; em vez disso, ele acha o assunto interessante e a discussão estimulante. De fato, pode ser.
Em meus anos na universidade, sempre fiz o mesmo tipo de debate em minhas aulas de astronomia introdutória para motivar meus alunos a pensar mais profundamente. Ao levantar a questão, desafiava nossa mitologia cultural que, até a época de Cristóvão Colombo, há cinco séculos, quase todos pensavam que a Terra era plana. Supostamente, com nossa sofisticação e inteligência hoje, conhecemos melhor do que as pessoas ignorantes do passado. A maioria dos meus alunos ficou surpresa ao aprender que os fatos da História são muito diferentes. A questão da verdadeira forma da Terra havia sido resolvida dois milênios antes de Colombo. Raramente, algum dos meus alunos poderia dar uma boa razão pela qual a Terra é esférica. Já chega para a nossa superioridade soberba moderna sobre as pessoas supostamente ignorantes do passado.
A maioria das pessoas não tem pensado sobre esse assunto, porque durante a toda a vida têm sido ensinadas que a Terra é esférica. Então, por que se preocupar com isso? Consequentemente, sem ter ideia das razões pelas quais sabemos que a Terra é esférica, a maioria das pessoas entrou há muito tempo em um estado complacente de mais ou menos aceitar a palavra de outra pessoa sobre o assunto.
Quando chega alguém, como este rapaz, que dá alguma atenção ao assunto e começa a levantar o que parecem ser simples objeções à forma esférica da Terra, não é preciso muito para perturbar a maioria das pessoas. Quando encurraladas desta maneira, as pessoas geralmente respondem com a observação de que temos fotos do espaço que mostram claramente uma Terra esférica. Entretanto, o orador inteligente responderá que essas fotos podem ser facilmente falsificadas. Realmente, porque todos sabemos que é muito fácil falsificar essas fotos, talvez essas fotos não provem muito, afinal. Além disso, esses tipos de fotos estão disponíveis por apenas pouco mais de meio século. A crença em uma Terra esférica remonta à muito antes disso, então, obviamente deve haver respostas melhores.
Uma vez derrubado o argumento das fotos do espaço de uma Terra esférica, a grande maioria das pessoas geralmente tem uma de duas respostas. A resposta mais comum é rejeitar a pessoa que faz as perguntas como uma excêntrica ou louca, porque "todos sabem que a Terra é redonda". A outra resposta é prestar mais atenção aos terraplanistas, procurando erros em seus fatos ou lógica. No entanto, raramente tendo o conhecimento prontamente à mão para refutar o caso para uma Terra plana, a maioria das pessoas que usa essa abordagem logo procura por ajuda. Essa procura por ajuda geralmente é pela Internet, na qual rapidamente encontram um montão de sites e vídeos promovendo a Terra plana, mas muito pouco, se houver, refutando-a. Algumas pessoas saem algumas horas depois com seus egos feridos e sua inteligência um pouco insultada, porque ainda acham que a Terra plana é um absurdo, mas estão frustradas porque parece que elas não podem responder a muitos dos argumentos que acabaram encontrando. Outros ainda nunca saem dessa toca de coelho e acabam pensando que talvez as teorias da conspiração que eles encontraram ao longo do caminho possam estar certas — talvez por um longo tempo todos tenhamos sido alimentados com uma enorme mentira sobre a verdadeira forma da Terra.

Razões Pelas Quais Sabemos Que a Terra É Esférica

A Sombra da Terra
Então, como é que as pessoas no mundo antigo sabiam que a Terra é esférica? A primeira discussão registrada de uma Terra esférica é de Pitágoras no século VI a.C. Pitágoras entendeu corretamente que a causa dos eclipses lunares é a sombra da Terra que cai sobre a Lua. Isso só pode acontecer quando a Lua está em posição oposta ao Sol em nosso céu, que coincide com a Lua cheia. A sombra da Terra é maior que a Lua, então não podemos ver a sombra inteira de uma só vez. Entretanto, durante um eclipse lunar vemos a sombra da Terra se arrastando através da Lua. Pela razão de que a borda da sombra da Terra é sempre uma porção de um círculo, a sombra da Terra deve ser um círculo. Se a Terra fosse plana e redonda, semelhante a um disco, poderia emitir uma sombra circular, mas apenas para os eclipses lunares que ocorrem à meia-noite. Para um eclipse lunar ao nascer do sol ou pôr-do-sol, a sombra da Terra seria um elipse, uma linha, ou um retângulo, dependendo da espessura do disco comparada com seu diâmetro. No entanto, a sombra da Terra durante um eclipse lunar é sempre um círculo, independente da hora da noite em que o eclipse ocorre. A única forma que consistentemente tem uma sombra circular, independente de sua orientação, é uma esfera.

Visibilidade das Estrelas

Outro argumento envolve as estrelas que são visíveis nas partes norte e sul do céu. A Estrela Polar está a um grau do Polo Norte Celeste, a direção no espaço em que a rotação da Terra aponta. À medida que a Terra gira cada dia, as estrelas, o Sol e a Lua parecem girar ao redor do Polo Norte Celeste, de modo que o Polo Norte Celeste permanece fixo no céu. No mundo antigo, muitas pessoas pensavam que a esfera celeste girava a cada dia em torno de uma terra que não girava. Para os nossos propósitos aqui, esse caso não importa. O Polo Norte Celeste faz um ângulo com o horizonte norte. Chamamos a este ângulo de a altitude do Polo Norte Celeste. Uma vez que a Estrela Polar está tão perto do Polo Norte Celeste, podemos aproximar a altitude do Polo Norte Celeste com a altitude da Estrela Polar.
Vela e Constelações Circundantes
A altitude da Estrela Polar é notavelmente maior no céu em locais do norte do que nos locais do sul. Por exemplo, a Estrela Polar é muito maior no céu no norte dos Estados Unidos e Canadá do que na Flórida, como qualquer pessoa que presta atenção em uma viagem, tal como umas férias, pode atestar. Isso só pode acontecer se o movimento norte-sul estiver ao longo de um arco. Isso é mais ressaltado por outras considerações. Há uma região ao redor da Estrela Polar em que as estrelas não se levantam ou se põem, mas em vez disso estão continuamente acima e parecem ir em círculos em torno do Polo Norte Celeste. Chamamos a essas estrelas de circumpolares, que significa "ao redor do polo". A região de estrelas circumpolares é maior em locais do norte do que em locais do sul. Igualmente, há uma região circumpolar abaixo do horizonte sul, cujas estrelas estão sempre abaixo do horizonte. A região circumpolar do norte, onde as estrelas estão sempre visíveis, é muito grande, e a região circumpolar do sul, cujas estrelas nunca estão visíveis, também é grande. Mais próximo do equador da Terra, as duas regiões circumpolares são menores. Por exemplo, durante muitos anos vivi na Carolina do Sul, cerca de quatro graus mais ao sul da latitude de onde agora moro no norte do Kentucky. Posso ver que a Estrela Polar é ligeiramente maior no norte do Kentucky do que na Carolina do Sul. Além disso, durante o inverno na Carolina do Sul, a brilhante estrela Canopus apenas se elevava acima do horizonte sul cada noite; mas em Kentucky nunca posso ver Canopus. Isso ocorre porque no norte do Kentucky, Canopus está na região circumpolar do sul, onde as estrelas nunca são visíveis, enquanto que na Carolina do Sul não está nessa região. Isto também mostra que a Terra é curvada na direção norte-sul.

Curvatura da Terra

Não só a Terra é curvada na direção norte-sul, ela também é curvada na direção leste-oeste. Há uma diferença de tempo de três horas entre as costas leste e oeste dos Estados Unidos. Ou seja, o Sol nasce e se põe aproximadamente três horas mais cedo na costa leste do que na costa oeste. Isto é facilmente verificado por qualquer um que tenha voado entre as costas leste e oeste dos Estados Unidos. Não somente seu relógio mostrará que há uma diferença de tempo de três horas, mas seu corpo notará a diferença no tempo também. Se alguém dirige de uma costa para a outra, a viagem vai demorar vários dias, de modo que nossos corpos não notarão muito a diferença de tempo. No entanto, nossos relógios revelam que o tempo mudou. Tal transporte rápido não era possível nos tempos antigos, mas os antigos podiam ver essa diferença de tempo de uma maneira diferente. Um eclipse lunar, obviamente, deve acontecer simultaneamente para todos na Terra, mas serão tempos diferentes em locais diferentes. Por exemplo, um eclipse lunar pode começar pouco depois do pôr do sol no Mediterrâneo Oriental, tal como na Grécia. No entanto, no Mediterrâneo Ocidental, tal como na Espanha, a Lua já estaria em eclipse quando aparecia naquela noite. Isso significa que o eclipse lunar começou antes do pôr do sol/nascer da lua na Espanha, mas após o pôr do sol/nascer da lua na Grécia. A comunicação era tal no mundo antigo que as pessoas estavam cientes desse efeito.  Isso mostra que a Terra é curvada na direção leste-oeste. Se a Terra é curvada na direção norte-sul e leste-oeste, a forma mais provável da Terra é uma esfera.

Fontes antigas

Fontes antigas, tal como Aristóteles, também mencionaram que os cascos dos navios desapareciam antes que seus mastros conforme os navios velejavam para longe. Isso só aconteceria se a Terra fosse esférica. Sem ajuda óptica, isso é difícil de ver, no entanto, pode-se facilmente ver um efeito relacionado. Se alguém está empoleirado no alto do mastro do navio, pode avistar terra ou outros navios antes das pessoas no convés poderem. É por isso que os observadores costumavam ser colocados em um ninho de corvo (cesto de vigia) acima do convés de um navio. Se a Terra fosse plana, não haveria vantagem em estar acima do convés. Uma coisa semelhante pode ser observada em terra. A península Door em Wisconsin forma a costa oriental da baía Green. A distância através da baía Green desde a porção norte da península Door até o norte de Michigan é mais de trinta e dois quilômetros. Olhando através da baía Green a partir da praia no lado oeste da península Door, não se pode ver o norte de Michigan. No entanto, se alguém sobe a ribanceira acima da praia, pode-se ver o litoral do norte de Michigan. Isso só é possível se a Terra for esférica.
Vista do pôr do sol a partir do parque estadual Potawatomi, baía Sturgeon, Wisconsin
Não só os povos antigos sabiam que a Terra era esférica, um deles mediu com precisão o tamanho da Terra em torno de 200 a.C. Eratóstenes trabalhou na Grande Biblioteca em Alexandria, Egito. Eratóstenes é o pai da geografia porque ele cunhou o termo e encarregou a criação de muitos mapas. Em um ano em particular no solstício de verão, Eratóstenes estava no sul do Egito perto de Aswan nos dias de hoje. Estando no limite norte dos trópicos, o Sol estava a pino ao meio-dia no solstício de verão. Eratóstenes percebeu isso, porque podia olhar para um poço profundo e ver o fundo do mesmo.
Eratóstenes
Normalmente, o fundo de um poço não é visível porque a luz do Sol não brilha diretamente no fundo, mas sim ao meio-dia no solstício de verão porque o Sol está a pino. O Sol nunca ficava a pino em Alexandria, porque ela não está entre os trópicos. De volta a Alexandria no ano seguinte, Eratóstenes mediu a altitude do Sol ao meio-dia no solstício de verão. Ele fez isso construindo um poste vertical de altura conhecida e medindo a sombra do poste ao meio-dia. A trigonometria permitiu a Eratóstenes calcular a altitude do Sol. A diferença entre noventa graus e a altitude era o quão longe o Sol estava de estar na vertical. Eratóstenes descobriu que o ângulo era cerca de um quinquagésimo de um círculo. Isto significava que Alexandria e Aswan estavam separadas por um quinquagésimo da circunferência da Terra. Eratóstenes sabia qual a distância entre esses dois locais, de modo que multiplicando essa distância por cinquenta foi lhe dada a circunferência da Terra.
Por que tantas pessoas hoje supõem que todos pensavam que a Terra era plana até a época de Colombo? A discussão na época de Colombo não era sobre a forma da Terra, mas sobre o tamanho da Terra. Os muçulmanos haviam fechado para os europeus as rotas comerciais terrestres para o Extremo Oriente. Todos perceberam que viajar para a Ásia navegando para o oeste da Europa era possível, mas por que você iria querer? Havia um vasto oceano (eles não sabiam sobre os dois continentes americanos no meio) separando a Europa e a Ásia. Era muito mais curto navegar para o leste da Europa, talvez em torno da África, para chegar à Ásia. Em navios pequenos usados naquela época, não era recomendável navegar mais do que alguns dias longe da vista da terra. Colombo estava propondo uma viagem de alguns meses sobre águas abertas e inexploradas. Isso era muito perigoso. Para tornar sua proposta de viagem mais agradável, Colombo superestimou a distância leste da Europa, e ao mesmo tempo diminuiu a medida de Eratóstenes da circunferência da Terra. A diferença entre essas duas era a distância esperada por Colombo para a Ásia navegando para o oeste da Europa. Na estimativa de Colombo, era mais curto chegar à Ásia navegando para o oeste do que para o leste. Um olhar para um globo ou mapa moderno do mundo revela que isso é falso. Em outras palavras, Colombo estava errado, e seus críticos estavam certos!

Acusação ao Cristianismo

No final do século XIX, dois céticos ateus, Andrew Dickson White e John Draper, criaram a tese do conflito de que o cristianismo reteve o progresso da ciência. Um de seus principais argumentos foi que, durante toda a Idade Média, a igreja havia ensinado que a Terra era plana. Ao criar esse mito, Draper e White sugeriram que a igreja poderia redimir-se por esse suposto erro sobre a forma da Terra entrando no terreno do darwinismo. Esse estratagema foi muito bem sucedido visto que grande parte da igreja rendeu-se ao evolucionismo. Também alterou falsamente a História. É essa falsa versão da História que a maioria das pessoas tem aprendido.

Descida na Toca de Coelho

Poucos dias depois de minha conversa com as pessoas sobre o jovem que aderiu a uma Terra plana, tive duas conversas adicionais, mas independentes, com pessoas que tinham preocupações semelhantes com outros dois jovens cristãos. No entanto, enquanto o primeiro rapaz meramente falava de uma Terra plana como um exercício intelectual, esses dois jovens aparentemente tinham se convencido de que a Terra pode realmente ser plana. Com três conversas desse tipo em menos de uma semana, perguntei-me: "Há algo acontecendo lá fora?" Houve alguns sinais de alerta ao longo do caminho. Durante os seis meses anteriores, eu havia sido questionado sobre a Terra plana várias vezes. Uma era do departamento que lida com correspondências e perguntas dirigidas ao Respostas em Gênesis. Parece que as pessoas enviam uma pergunta sobre isso ao Respostas em Gênesis com bastante frequência. Dois de nossos oradores aqui no Respostas em Gênesis recentemente receberam perguntas sobre a Terra plana enquanto viajavam. Dois outros oradores da Criação não associados com o Respostas em Gênesis me perguntaram sobre isso. Mais recentemente, alguém levantou essa questão depois de uma palestra que dei no Museu da Criação. Isso imediatamente levantou duas perguntas: Quem são as pessoas responsáveis por esse interesse recente em uma Terra plana, e quais são suas motivações?
A busca por essas respostas exigiu que eu desaparecesse dentro da toca de coelho da Terra plana na Internet por um tempo. Antes de compartilhar o que encontrei, preciso deixar um ponto bem claro: assim como na estória de Alice no País das Maravilhas, nem tudo é como parece. A maioria das pessoas está ciente de que existe uma Sociedade da Terra Plana, pensando que essa sociedade é um grupo sério de pessoas dedicadas promovendo sua própria visão peculiar do mundo. A situação é muito mais obscura do que isso. Na verdade, tem havido várias sociedades da Terra Plana. Algumas delas claramente têm sido zombeteiras, enquanto outras parecem ser muito mais sérias. Alguns defensores da Terra plana, obviamente, estão se divertindo, e eles não parecem se importar se sua audiência está na piada. No entanto, algumas pessoas que promovem uma Terra plana parecem deleitar-se observando as pessoas se contorcerem desconfortavelmente quando confrontadas com um argumento que discordam, mas que não conseguem refutar muito bem. É claro que essas pessoas não vão deixar transparecer que são qualquer coisa, mas que são sérios sobre a Terra plana. Isso é perverso.

Exemplos de Proponentes da Terra Plana

Um exemplo de alguém que pode não ser sério sobre a Terra ser plana é Matthew Boylan. De acordo com algumas fontes sobre a Terra plana, Boylan é um artista que foi um contratante independente da NASA. Ele supostamente deixou esse emprego depois que funcionários da NASA lhe confiaram segredo e o convidaram para se juntar à conspiração de promover a mentira de que a Terra é esférica. De acordo com Boylan, a NASA falsifica quase tudo o que faz. Boylan tem vários vídeos na Internet, mas alguns deles parecem ser shows de comédia. Por exemplo, neste vídeo (aqui há o link do vídeo) tem uma audiência que reage como se os membros entendessem que estavam assistindo a um show de comédia. A fala de Boylan, incluindo seu uso frequente de palavrões, é semelhante a muitos shows de comédia de hoje em dia. Nesse show, Boylan incluiu uma foto que ele diz mostrar o Módulo de Excursão Lunar Apollo 11 (LEM) pousando na Lua. De acordo com ele, porque teria que haver uma equipe de filmagem já na Lua para tirar a foto, a NASA falsificou o pouso na Lua. No entanto, a fotografia mostra claramente a borda curva da Lua, indicando que o LEM estava muito acima da superfície lunar. Na verdade, esta foto foi tirada por Michael Collins, que permaneceu a bordo do Módulo de Comando Apollo 11 (CM) enquanto os dois outros astronautas, Neil Armstrong e Buzz Aldrin, pousaram na Lua. Collins tirou a foto pouco depois da separação do LEM do CM. Da mesma forma, Boylan mostra uma imagem da sonda Galileu chegando a Júpiter. Boylan observa zombeteiramente que a sonda Galileo deve ter sido seguida muito de perto por outra espaçonave carregando uma câmera. A NASA frequentemente produz esse tipo de imagem de espaçonave sobreposta com uma imagem de algum objeto espacial relevante para a espaçonave. Em outras palavras, isso é a interpretação de um artista. Como artista, Boylan deve entender isso. Ele deve estar se divertindo muito que tantas pessoas pensem que ele é sério.

"Apoio" para uma Terra Plana

Vamos discutir algumas das afirmações mais frequentes que supostamente provam que a Terra é plana em vez de esférica. A maioria das supostas evidências são negativas; isto é, são tentativas de mostrar que a Terra não é esférica. No entanto, pelo menos uma, o experimento Nível de Bedford, é positiva, uma tentativa de mostrar diretamente que a Terra é plana. Em 1838, Samuel Birley Rowbotham reivindicou ter conduzido uma experiência no Velho Rio de Bedford no Nível de Bedford perto de Norfolk, Inglaterra. O Nível de Bedford é um trecho de 9.66 km do Rio Velho de Bedford que está em linha reta, permitindo uma vista ininterrupta ao longo dos nove quilômetros. Além disso, não há gradiente ali, de modo que essa parte do rio equivale a um canal de drenagem de fluxo lento. Se a Terra é curva, então o declive de uma extremidade à outra é de aproximadamente sete metros. Ou seja, se alguém fosse usar um telescópio no nível da água para ver ao longo da água em uma extremidade do Nível de Bedford, um mastro ou poste de sete metros de altura na outra extremidade não seria visível.
Diagrama do experimento de Rowbotham no Nível de Bedford.
Rowbotham entrou no rio e usou um telescópio mantido vinte centímetros acima da água para observar um barco a remo com um mastro de um metro e meio de altura que estava zarpando. Rowbotham afirmou que podia ver o mastro quando este estava a nove quilômetros de distância, embora a Terra esférica exigisse que o topo do mastro estivesse cerca de três metros abaixo de seu horizonte (conforme visto a partir de vinte centímetros acima da água). Rowbotham concluiu que a Terra deveria ser plana, ou é mais provável que ele já pensava isso e que essa experiência provou sua tese, pelo menos para sua satisfação. Rowbotham, usando um pseudônimo, publicou seus resultados em um panfleto intitulado "Astronomia Zetética" em 1849, que expandiu em um livro em 1865.
A maioria das pessoas ignorou o trabalho de Rowbotham. No entanto, em 1870, John Hampden, outro proponente de Terra plana, ofereceu uma aposta de uma soma pesada para quem pudesse demonstrar uma curvatura convexa de um grande corpo de água, como exigiria uma Terra esférica. O famoso Alfred Russel Wallace aceitou o desafio. Aparentemente inconsciente do resultado de Rowbotham, Wallace alterou um pouco a técnica. Ele colocou dois objetos idênticos em locais diferentes ao longo do Nível de Bedford. Wallace examinou cada objeto a partir de um telescópio montado em uma ponte. Ele descobriu que o objeto mais próximo parecia maior que o mais distante, consistente com os resultados previstos por uma Terra esférica. Por que a diferença? A densidade do ar diminui com o aumento da altitude. Como isso provoca uma ligeira alteração no índice de refração no ar, os raios de luz que passam perto da superfície da Terra são inclinados para baixo. Como pode ser visto na figura a seguir, isso faz com que objetos distantes pareçam acima do que realmente estão.
Incidentalmente, esse efeito bem conhecido faz com que o Sol pareça nascer cerca de dois minutos mais cedo do que realmente ocorre. Uma inversão de temperatura, onde a temperatura aumenta com a altitude, é comum em baixas altitudes ao longo do Nível de Bedford e outros corpos de água. As inversões de temperatura acentuam a refração. Se a taxa de aumento da temperatura do ar com a altitude é grande o bastante, uma inversão da temperatura pode até mesmo fazer com que objetos distantes pareçam acima do horizonte. Em 1896, Ulysses Grant Morrow conduziu um experimento semelhante no Canal de Drenagem Old Illinois sob estas condições, e encontrou resultados consistentes com a Terra sendo curva de forma côncava (há pessoas que pensam que a superfície da Terra é como o interior de uma concha). Aparentemente, Wallace estava ciente desses efeitos, enquanto Rowbotham não estava. Isso foi o que levou Wallace a conduzir seu experimento suficientemente elevado acima da água para eliminar a maior contribuição da refração devido a uma inversão de temperatura em baixa altitude.
Aqueles que promovem a Terra plana, muitas vezes mencionam o experimento do Nível de Bedford como prova de que a Terra é plana. Eles parecem pensar que o experimento de Rowbotham de 1838 resolveu o assunto para sempre. São voluntariamente ignorantes de que o experimento foi repetido muitas vezes desde 1838. Quando esses experimentos são conduzidos adequadamente para minimizar o efeito da refração, eles são consistentes com uma Terra esférica.
Alguns vídeos da internet que promovem a Terra plana mostram um filme de lapso do tempo do Sol da meia-noite. O Sol parece mover-se para a direita ao longo do horizonte, oscilando lentamente para cima e para baixo uma vez por dia. A alegação feita é que o Sol da meia-noite é visível em qualquer lugar ao norte do Círculo Ártico (cerca de 66,6 graus de latitude norte), mas que se a Terra fosse esférica, o Sol da meia-noite seria visível apenas no Polo Norte. A figura a seguir mostra a situação correta.
No solstício de verão, o Hemisfério Norte da Terra tem sua inclinação máxima em direção ao Sol. Considere um observador no Círculo Ártico. No ponto A é meio-dia, e o Sol está tão elevado no céu quanto pode estar, quase 47 graus. Para um observador de frente para o Sol com o Polo Norte à suas costas, o Sol apareceria na parte sul do céu. No entanto, doze horas depois, a rotação da Terra levará o observador ao ponto B. Isso será à meia-noite. Como você pode ver, os raios do Sol passam sobre o Polo Norte e atingem o ponto B tangentes à superfície da Terra. Os raios do Sol que estão tangentes à superfície da Terra significam que o Sol está no horizonte. Visto que o observador deve estar frente ao Polo Norte para ver o Sol, o Sol está na parte norte do céu.
No Círculo Ártico, o Sol da meia-noite é visível apenas no solstício de verão. Nas latitudes mais altas, o Sol da meia-noite é visível por mais dias. No Polo Norte da Terra, o Sol está acima do horizonte por seis meses. O Sol não parece oscilar para cima e para baixo cada dia no Polo Norte. Em vez disso, o Sol parece circular cada dia aproximadamente na mesma altitude. Na verdade, o Sol nasce no Equinócio Vernal e lentamente ganha altitude até o solstício de verão, ao que o Sol lentamente desce novamente até que se põe no Equinócio de Outono. A altitude máxima do Sol, no solstício de verão, é de 23,4 graus.
Há uma ironia aqui. Enquanto os defensores da Terra plana afirmam falsamente que o Sol da meia-noite no Círculo Ártico não pode acontecer se a Terra for esférica, é a Terra plana que tem dificuldade de explicar o Sol da meia-noite. A maioria dos modelos da Terra plana tem o Polo Norte no centro de uma Terra em forma de disco, como na ilustração a seguir.
Suponha que o Sol da meia-noite seja visível no Polo Norte, bem como no Círculo Ártico. Isto é indicado por linhas a partir do Sol para o Polo Norte e para o ponto A no Círculo Ártico. Note que em uma Terra plana, podemos desenhar uma linha do Sol para qualquer ponto da Terra não dentro do Círculo Ártico (como o ponto C). Por isso, se a Terra fosse plana, o Sol da meia-noite deveria ser visível em toda parte, não apenas dentro do Círculo Ártico. Porque, claramente, este não é o caso, a Terra não deve ser plana.
Alguns dos vídeos promocionais de Terra plana que tratam do Sol da meia-noite mostram o Sol orbitando cada dia em torno do Polo Norte da Terra. Misteriosamente, há uma sombra na Terra no outro lado de seu Polo Norte do Sol. Já que o Sol orbita o Polo Norte, o mesmo ocorre com a sombra. Aparentemente, a sombra indica onde está a noite na Terra. No entanto, porque o Sol está claramente acima do horizonte em locais naquela sombra, deveria ser dia lá. A origem dessa sombra que produz a noite nunca é explicada. Além disso, visto que o Sol está claramente acima do horizonte em toda a Terra plana, deveria ser dia em toda parte na Terra. Isto, também, não é explicado.
Outra alegação feita contra a Terra esférica é que se a Terra fosse um globo giratório que orbitasse o Sol a cada ano, o eixo de rotação da Terra não ficaria alinhado com a Estrela Polar. Isso ocorre porque, à medida que mudamos de um lado da órbita da Terra para o outro, nossa perspectiva muda, como pode ser visto no seguinte visual.
Se o eixo da Terra estivesse alinhado com a Estrela Polar no ponto A, então a Terra não se alinharia com a Estrela Polar seis meses depois, quando a Terra chega ao ponto B. Esse efeito é suficientemente bem conhecido para justificar um nome: paralaxe. Pelo menos um dos vídeos mostra o que os astrônomos pensam que é a distância para a Estrela Polar (quatro quadrilhões de km, mas na verdade é cerca de duas vezes essa distância) e o raio da órbita terrestre (150 milhões de km). Podemos usar esses números para descobrir o quanto o ângulo de paralaxe, π, é. Como veremos, o ângulo π é um ângulo pequeno, então podemos usar a aproximação de ângulo pequeno. Se um ângulo é pequeno, podemos expressar o ângulo, em medida radiana, como a razão entre a linha de base e um dos outros lados. A linha de base é o raio orbital da Terra, r, e o outro lado é a distância para a Estrela Polar, d. Isto é:
π = r/d = (150 milhões de km) / (2 quadrilhões de km) = 7.5 x 10-8 radianos.
Para converter isso em graus, devemos multiplicar por 57.3. Depois de fazer isso, o ângulo é de 4.3 x 10-6 graus, ou um pouco mais de quatro milionésimos de um grau. Esse é o diâmetro aparente de uma moeda de dez centavos americana quando vista a 241 quilômetros de distância. Na verdade, a mudança total que veríamos seria o dobro desse valor, mas lembre-se, a distância dada no vídeo é cerca de metade do valor real. Obviamente, este é um ângulo muito pequeno, pequeno demais para os nossos olhos notarem. Portanto, essa suposta prova de que a Terra é plana é ilusória.
Em uma entrevista (aqui há um link), o promotor da Terra plana Eric Dubay discutiu paralaxe. Dubay escreveu vários livros sobre a Terra plana, como "The Flat Earth Conspiracy" (A Conspiração da Terra Plana), e é destacado ou creditado com vários vídeos no YouTube. Nesta entrevista, Dubay declarou explicitamente que não existem medições de paralaxe. Isso é evidentemente falso. Apesar de ser muito pequena, é possível medir a paralaxe das estrelas mais próximas à Terra. As primeiras medições de paralaxe foram na década de 1830. A tecnologia tem melhorado tremendamente desde então, de modo que hoje há medições de paralaxe de várias centenas de milhares de estrelas. A missão HIPPARCOS do início da década de 1990 foi muito útil nisso. Desde esta missão, temos medições de paralaxe da maioria das estrelas dentro de 600 anos-luz. A nave espacial Gaia, lançada no final de 2013, está contribuindo grandemente para isso. A missão Gaia deve nos dar medições de paralaxe até 6.000 anos-luz. Não está claro se Dubay é ignorante do status das medições de paralaxe, ou se ele sabe mais e optou por dizer o contrário.
Na entrevista, Dubay fez uma série de declarações falsas. Ele disse que a Estrela Polar é visível abaixo a 23 ½ graus de latitude ao sul do equador da Terra. Isso é falso. A Estrela Polar não é visível ao sul do equador. Dubay disse que a Lua não é sólida, porque podemos ver estrelas através dela. Isso é um absurdo, porque de vez em quando a Lua passa em frente a uma estrela brilhante, um evento que chamamos de ocultação lunar. Os astrônomos medem quanto tempo leva o limbo lunar (ou borda) para bloquear as estrelas durante as ocultações lunares, porque a medida do tempo revela alguma coisa sobre quão grandes as estrelas são.
Claramente, Dubay não entende de física. Ele afirma que os foguetes não podem funcionar no espaço porque não há ar. Os foguetes funcionam por causa da Terceira Lei de Newton do Movimento (ação-reação), não porque empurram o ar. Dubay protesta que a gravidade parece ter duas propriedades contraditórias: fazer coisas cravarem na Terra e fazer com que outras coisas orbitem a Terra. Se Dubay entendesse até mesmo de física elementar, ele saberia que, por causa da Primeira Lei de Newton do Movimento, um objeto requer uma força para orbitar. A gravidade fornece essa força. Isso não é diferente de qualquer objeto que vai em uma rota circular. Um peso girando em torno de um barbante é compelido em sua órbita pela tensão no barbante. De maneira semelhante, a gravidade fornece a força necessária para fazer a Lua orbitar a Terra.
Muitos dos argumentos apresentados por Dubay e outros para uma Terra plana são tão pobres, que é de se perguntar o quão sérias essas pessoas devem ser. Dubay parece sério o bastante, mas ele realmente não consegue entender tantas coisas? Pode haver uma dica no início da entrevista que sugere que a coisa toda era uma piada. A entrevista foi feita via Skype. O entrevistador e Dubay soam como se fossem americanos. O entrevistador afirmou que Dubay estava na "ensolarada Tailândia", Dubay respondeu que a Tailândia estava "iluminada pela Lua". Aparentemente, era de dia onde o entrevistador estava, mas era noite na Tailândia. Isso seria difícil de explicar em uma Terra plana, mas relativamente fácil de explicar em uma Terra esférica.

Cristãos que apoiam a crença na Terra plana

Enquanto eu procurava aqui e ali, não era capaz de encontrar uma única fonte responsável pelo renovado interesse na Terra plana entre os cristãos. Todavia, encontrei um longo documentário sobre o assunto, aparentemente produzido por cristãos: "The Biblical Flat Earth Series: The Global Lie Flat Earth Revelation Documentary". Há quatro pessoas creditadas no documentário: Philip Stallings, Rob Skiba, Robbie Davidson, and Emmanuel Lokonga. Não há muita informação sobre Emmanuel Lokonga. Robbie Davidson aparentemente é o cineasta e principal responsável pela produção do documentário. Igualmente, Rob Skiba e Philip Stallings têm outros vídeos que promovem a Terra plana, bem como outras idéias, na Internet. Stallings é identificado como o fundador da Bible Flat Earth Society. Uma organização chamada Celebrate Truth também esteve envolvida no documentário. Não está claro o que Celebrate Truth é ou quem está por trás dela. Tanto Celebrate Truth quanto Bible Flat Earth Society parecem ter uma presença exclusiva nas mídias sociais.
Embora o documentário pareça razoavelmente bem feito do ponto de vista técnico, grande parte do material no programa é pobre. Por exemplo, entre os 53:00 e 55:30 minutos, o documentário faz a afirmação de que não vemos paralaxe estelar, e assim conclui que a Terra não deve estar se movendo. Como já mencionado, isso é evidentemente falso. Isso é tão facilmente refutado, que faz-me perguntar se este documentário é uma tentativa séria de apoiar a Terra plana ou se é apenas mais um sutil projeto zombeteiro para enrolar pessoas ingênuas.
Cratera do Meteoro-Arizona. Imagem por NASA Earth Observatory, via Wikimedia Commons.
Em torno dos 56:30 minutos há uma lista de várias coisas esquisitas amontoadas. Um item na lista é uma negação da existência de planetas extrasolares (eles existem). Outro nega que as estrelas estejam distantes (elas estão). Há uma negação de que os meteoritos atingem a Terra (Há abundantes provas de que os meteoritos atingem a Terra. Por exemplo, a Cratera do Meteoro no Arizona é um impacto de meteorito bem documentado). Também está incluída uma negação de que a fonte de energia do Sol é nuclear, mesmo que haja evidência para isso. A antiga alegação aristotélica de que uma Terra em movimento deixaria sua atmosfera para trás está lá também. Uma variação deste último ponto é feita em 1:22:30, onde a alegação feita é que um avião não poderia aterrissar em uma pista se a Terra estivesse em movimento. À medida que a Terra se move, a atmosfera se move com ela, de modo que a atmosfera não fica para trás. Além disso, como as aeronaves se movem em relação ao ar, à medida que o ar se move com a Terra, as aeronaves são levadas juntamente com o ar e a Terra. A única dificuldade é se houver vento significativo através da trajetória do voo, mas os pilotos lidam com isso todos os dias. Novamente, isso tudo é tão ruim que tenho que considerar a possibilidade de que todo este documentário seja sátira ou invectiva. Em torno de 1:29:11, um apelo é feito para a importância fundamental do Gênesis. Isso soa semelhante à mensagem do Respostas em Gênesis. Isso é algum tipo de crítica ao Respostas em Gênesis?
Fotografia da Terra tirada pelos astronautas da Apollo 17. Imagem cedida pela NASA.
Uma vez que se postula uma Terra plana, isso leva a outras alegações absurdas. Se a Terra é plana em vez de uma esfera, então é inconcebível que tenhamo-nos aventurado no espaço. Na entrevista mencionada anteriormente com Eric Dubay, ele negou que existam satélites orbitando a Terra ou que os astronautas tenham ido para o espaço. Ele afirma que todas as fotos e vídeos tirados do espaço são falsificados. Por exemplo, Dubay diz que a famosa fotografia da Terra tirada pelos astronautas da Apollo 17 é uma imagem gerada por computador. Naturalmente, esta linha de argumentação requer automaticamente a crença de que as aterrissagens da Apollo na Lua foram embustes. No entanto, existem boas razões para acreditar que realmente aterrissamos na Lua durante o programa Apollo. Os cristãos que querem nutrir este absurdo devem saber que durante sua estada de seis meses na Estação Espacial Internacional em 2006, o astronauta Jeffrey Williams fotografou a Terra mais do que qualquer astronauta na História. Algumas das fotos de Williams são encontradas em seu livro "A Obra de Suas Mãos: Uma Visão da Criação de Deus a partir do Espaço". Muitas das fotos mostram que a Terra é esférica. Deve ser aparente por causa do título do livro que Williams é um cristão, mas o conteúdo do livro deixa isso abundantemente claro. Por isso, duvidar que a Terra é esférica ou que os astronautas tenham ido para o espaço é acusar um irmão cristão de perpetuar uma tremenda mentira.
Mas Williams não é o único cristão a ter ido para o espaço: Jim Irwin e Charles Duke estavam entre os doze homens que caminharam na Lua. Recentemente, pedi a Charles Duke para responder àqueles que pensam que a Terra é plana e aqueles que pensam que falsificamos a aterrissagem da Apollo na Lua. Isto é o que ele escreveu:
"Eu era o piloto do módulo lunar na missão Apollo 16 para a Lua. Lançamo-nos do KSC (Kennedy Space Center) na Flórida em 16 de abril de 1972. Deixamos a órbita terrestre para a nossa viagem de três dias para a Lua cerca de três horas depois. À medida que manobrávamos nossa espaçonave para acoplar com nosso módulo lunar, a Terra surgiu a cerca de 32.000 quilômetros de distância. Foi uma visão incrível. Como você pode ver na foto, é obviamente uma esfera e não um círculo plano. Enquanto viajávamos para a Lua, olhávamos pelas nossas janelas e víamos uma Terra menor, e cada vez víamos diferentes massas de terra, portanto estava, obviamente, girando sobre seu eixo.
Algumas pessoas estão questionando o fato de que pousamos na Lua, alegando que é um grande embuste. Bom, nós aterrissamos na Lua seis vezes, e as evidências são esmagadoras. Se falsificamos a aterrissagem, por que falsificamos seis vezes? Basta olhar para as fotos do Orbitador de Reconhecimento Lunar da minha missão. As fotos do nosso local de pouso mostram o estágio de descida, o veículo lunar, o pacote de experimentos e as pegadas que deixamos na Lua. Cada local de pouso tem evidências semelhantes. Há muitas outras provas que mostram conclusivamente que a Apollo realmente pousou na Lua seis vezes."
Novamente, os cristãos que pensam que a Terra é plana ou que os homens nunca pisaram na Lua estão efetivamente acusando vários irmãos cristãos de mentir sobre uma das maiores coisas que já aconteceram em suas vidas. Os negadores da aterrissagem da Apollo na Lua estão preparados para fazer essa acusação?

Conclusão

São essas pessoas que acreditam em uma Terra plana de verdade? É difícil dizer. Elas poderiam ser bem-intencionadas, mas pessoas seriamente equivocadas. Ou elas poderiam estar tentando desacreditar a Bíblia e o Cristianismo. Se for este último caso, a sua atitude provavelmente é: "Se você acha que a Bíblia é literalmente verdadeira, então vou mostrar-lhe simplesmente o quão literalmente verdadeira a Bíblia é!" Mas isso é uma falsa dicotomia. Nós aqui no Respostas em Gênesis não dizemos que a Bíblia é literalmente verdadeira. Em vez disso, entendemos que a Bíblia é verdadeira porque é inspirada por Deus. Como tal, é autoridade em todos os assuntos e é confiável. A Bíblia contém imagem e poesia. Mas, essas passagens são fáceis de identificar. Quando se chega aos tipos de questões que interessam aqui (tal como "Deus criou o mundo?"), a Bíblia deve ser lida e entendida histórica e gramaticalmente. Ou seja, a narrativa histórica não leva à interpretação simbólica. Por isso, o relato da Criação é literalmente verdadeiro.
Pelo menos algumas das pessoas por trás deste aumento no movimento de Terra plana podem estar satirizando o movimento da Criação. Como tal, eles claramente não são amigos da igreja; antes, se opõem a Cristo e ao Seu reino.  Eu recomendo que os cristãos exercitem muito discernimento acerca dos ensinamentos deles.
Traduzido por Esther Kochav do original em inglês do AnswersinGenesis: Is the Earth Flat?
Leitura recomendada:

5 comentários :

Jorge Santos disse...

Há uns aérie de vídeos no YouTube rechaçando que a Terra é redonda. E mais: que o homem nunca esteve na Lua. Dizem que a Nasa não apresenta os filmes originais e há fotos contundentes a respeito. Se é plana eu não sei, mas que há coisas esquisitas, há.

Gustavo disse...

Excelente postagem. Existem outras evidências para a Terra esférica como, por exemplo, as viagens entre Santiago, Chile, e Austrália em voo de 11h e Joanesburgo a Autrália com o mesmo tempo de voo. Por qualquer mapa da Terra plana, esses tempos de voo são impossíveis.

Júlio, comenta sobre sua interpretação de Gn6 em relação aos nefilins e os filhos de Deus. Você acha que criaturas não terrestres (celestiais ou extraterrestres) tiveram filhos?
Abraço

Cicero disse...

A Nasa chegou muito atrasada... Isaías ja disse a uns 700 AC em 40:22 que a terra é arredondada!

Sombra e Luz disse...

Artigo extremamente inteligente e extremamente importante. Vou compartilhar imediatamente com muitos amigos meus. Obrigado Julio!!!!!!!

Edivaldo Dantas disse...

Jesus disse: Vigiai, pois a hora e o dia não sabeis, se é plana ou redonda ou esférica, não sei, mas prefiro e continuo na vinda do Senhor Jesus. A verdade continua verdade, mas as suposições são muitas.Ide e pregai o evangelho a toda criatura.Amem