14 de abril de 2017

Hank Hanegraaff e confusões


Hank Hanegraaff e confusões

Julio Severo
Hank Hanegraaff, um proeminente apologista contra a Teologia da Prosperidade, foi criado num lar calvinista ou arminiano? Ele foi levado a Cristo numa igreja calvinista ou arminiana?
Hank Hanegraaff sendo recebido por crisma na Igreja Ortodoxa Grega
O histórico de Hanegraaff de travar guerras contra a Teologia da Prosperidade é calvinista ou arminiano?
O teólogo calvinista Franklin Ferreira acha que a resposta é arminiano. Ele disse em sua página de Facebook:
“Hanegraaff foi um importante apologista popular e escreveu uma das melhores obras contra a ‘teologia’ da prosperidade, ‘Cristianismo em crise,’ publicada no Brasil por CPAD (que lançou outras quatro obras dele). Era arminiano, e apesar das críticas que fazia ao pensamento reformado (há áudios e texto de Hanegraaff publicados no portal da Society of Evangelical Arminians), somava forças com os calvinistas no combate à heresia da mensagem da prosperidade.”
Ainda que a CPAD seja uma editora pentecostal e arminiana, um livro publicado por eles não é prova de que o autor seja arminiano. Se fosse, John MacArthur, um teólogo calvinista cessacionista estridente, seria arminiano. MacArthur tem vários livros publicados pela CPAD.
Sim, a Society of Evangelical Arminians mencionou Hanegraaff como “autor arminiano” em anos recentes.
Então Hanegraaff foi criado num lar arminiano? Ele foi levado a Cristo numa igreja arminiana? A principal influência na vida dele, antes de seu ministério apologético, era arminiana?
No site do Instituto Cristão de Pesquisas (ICP) dos EUA, seu diretor, Hanegraaff, afirmou que ele não é arminiano. O ICP defende o calvinismo em vários de seus artigos.
O site da Theopedia diz que “Hanegraaff nasceu na Holanda e foi criado nos Estados Unidos na Igreja Reformada Cristã.”
A Theopedia explica que “a Igreja Reformada Cristã… tem raízes nas igrejas reformadas holandesas na Holanda, mas têm suas raízes verdadeiras em João Calvino desde a Reforma.”
O Rev. D. James Kennedy, pastor da Igreja Presbiteriana Coral Ridge, disse décadas atrás:
“Hank foi levado a Cristo por meio do ministério desta igreja, da qual ele se tornou então membro. Eu o contratei algum tempo mais tarde no programa Explosão de Evangelismo Internacional no Departamento de Desenvolvimento. Foi aqui que ele aprendeu seu conhecimento básico da Bíblia. Aqui ele aprendeu a evangelizar. Aqui ele aprendeu mnemônica, a ciência da memória. Foi daqui e de mim que ele aprendeu a maioria das coisas necessárias para chegar à posição que ele hoje tem.
Com esse forte histórico presbiteriano, Hanegraaff se tornou o presidente do Instituto Cristão de Pesquisas nos EUA.
Com esse forte histórico presbiteriano, Hanegraaff se tornou um apologeta contra a Teologia da Prosperidade.
A surpresa não é que ele começou a chamar os renovados, os pentecostais, os carismáticos e os neopentecostais de “heréticos.” Ele acabou chamando até seu ex-pastor D. James Kennedy de “herético” também. Conforme citado pelo Blog Ministérios Walter Martin, Kennedy disse,
“Em conclusão, muito do que Hank aprendeu ele aprendeu nesta igreja e por meio de meus outros ministérios. Tenho tentado de todas as maneiras ser útil para ele. Tenho também me esforçado para ser gracioso, apesar das muitas cartas que recebi acusando-o de plagiar meu livro. Apesar de tudo isso, por alguma razão, que eu não saiba, ele começou a me atacar em seu programa público de rádio. E como ouvi recentemente, ele agora teve a ousadia de me chamar de herético. Fui chamado de todos os tipos de nomes pelos inimigos da Cruz, mas um nome de que nunca me chamaram antes é herético. Considerando meus 42 anos de ministério, quase 50 livros que publiquei, os milhares de programas de rádio e televisão que foram transmitidos aqui e no mundo inteiro, é quase digno de riso pensar que tivemos de esperar tanto para que fosse descoberto por nada menos do que um estudioso como Hank Hanegraaff que sou um herético.”
Esse é o problema do calvinismo e seu ambiente, principalmente da espécie cessacionista: guerras e acusações sem base de “heresia,” as quais no final acabam atingindo a todos.
Franklin Ferreira disse que Hanegraaff se aliou, ao que tudo indica como agente externo, aos calvinistas para combater a “heresia” da Teologia da Prosperidade. O fato é que ele não era um agente externo. Ele estava dentro de uma denominação calvinista!
As denominações calvinistas não estão sendo atingidas pela Teologia da Prosperidade. Aliás, os grandes problemas que estão afetando as igrejas presbiterianas são defesa do aborto e sodomia. Nenhum desses problemas, inclusive o liberalismo teológico, são causados pela Teologia da Prosperidade. Todos eles são causados pelo Evangelho Social, que é semelhante à Teologia da Missão Integral, que é a versão protestante da Teologia da Libertação.
Então em vez de combaterem problemas internos que os afetam diretamente, muitos calvinistas preferem dirigir seus ataques para problemas externos que não os afetam.
Hanegraaff começou demonizando pastores neopentecostais da Teologia da Prosperidade e acabou demonizando seu próprio ex-pastor presbiteriano… Confusão levando à confusão.
Não só as igrejas calvinistas na Europa, EUA e Brasil estão sofrendo de influências teológicas socialistas, mas a sociedade brasileira inteira também está sofrendo de influências socialistas.
Se olhos calvinistas ou reformados não conseguem ver a realidade, por meio da Bíblia ou de visões sobrenaturais, que muitos deles rejeitam em sua descrença cessacionista, Deus usará uma “pedra” (uma mente não cristã) para ver e clamar. Isso é o que está acontecendo.
Nesta semana, Rodrigo Constantino, um escritor conservador secular e não protestante, publicou um artigo intitulado “O Liberalismo e a Teologia da Prosperidade,” escrito por Claudir Franciatto, que disse:
Enquanto grande parte não evangélica da nossa sociedade se limita a chamar os pastores, bispos e apóstolos das igrejas neopentecostais de “ladrões”… [esses pastores, bispos e apóstolos] estão trazendo para o Brasil — sorrateira e imperceptivelmente — certo “espírito anglo-saxão” de coragem, desbravamento e atitude individual positiva, que forjou uma nação como os Estados Unidos, e nos faltava. E como nos fez falta sempre!!
Claudir acrescentou:
“Os pastores [neopentecostais] não incitam o fiel a orar e ficar sentado, mas a agir – dentro e fora da igreja.”
No entanto, os evangélicos não podem aceitar esse “espírito anglo-saxão” de coragem, desbravamento e atitude individual positiva, porque Hanegraaff, Ferreira e outros teólogos influenciados por um calvinismo cessacionista pensam e pregam que a Teologia da Prosperidade é “heresia.”
Se é fácil para Ferreira chamar a Teologia da Prosperidade de “heresia,” será que ele pode chamar o Evangelho Social ou a Teologia da Missão Integral de heresia?
Será que ele pode chamar o cessacionismo de heresia? O liberalismo teológico (com suas consequências de defesa do aborto e sodomia) prospera graças à descrença com relação a um Deus vivo e sobrenatural que opera hoje.
Baseado na Society of Evangelical Arminians, Ferreira disse que Hanegraaff é arminiano. Hanegraaff negou. Isso é confusão.
Na verdade, quando a Society of Evangelical Arminians disse em anos recentes que Hanegraaff era arminiano, ele já estava no processo de conversão para a Igreja Ortodoxa Grega. Aliás, a revista Christianity Today disse que a mudança dele para a Igreja Ortodoxa Grega levou uma década. Então não é de admirar que em 2011 ele tenha negado ser calvinista.
Hanegraaff foi criado e treinado em ambientes reformados e presbiterianos para atacar a Teologia da Prosperidade e outras questões neopentecostais que não afetam esse ambiente. Isso é confusão.
Depois de anos chamando os pastores neopentecostais de “heréticos,” ele acabou chamando seu antigo pastor presbiteriano de herético também! Isso é confusão.
Jill Martin Rische, filha de Walter Martin, que fundou o Instituto Cristão de Pesquisas em 1960, disse sobre Hanegraaff:
“Logo depois que meu pai, Walter Martin, morreu em 1989 seu ministério foi assumido por um homem que mais tarde descobrimos tinha um hábito preocupante de ‘pegar emprestado’ a obra de outras pessoas e afirmar que era sua.”
Isso é confusão.
Quando assumiu a presidência do Instituto Cristão de Pesquisas e escreveu “Cristianismo em Crise,” que ataca a Teologia da Prosperidade, Hank Hanegraaff tinha vindo diretamente não de uma igreja arminiana ou pentecostal. Ele veio diretamente de uma igreja presbiteriana.
Agora, ele está na Igreja Ortodoxa Grega.
Seja como for, Hanegraaff não abandonou o calvinismo cessacionista e suas influências agora. Ele fez isso anos atrás. Ele não começou a frequentar a Igreja Ortodoxa Grega agora. De acordo com Christianity Today, ele fez isso muitos anos atrás. A única coisa nova é o anúncio formal de que agora ele é cristão ortodoxo.
Mais confusão?
Versão em inglês deste artigo: Hank Hanegraaff and Confusions
Leitura recomendada:

10 comentários :

Jorge Santos disse...

Uma pergunta: o crente pobre é por que Deus quer ou por falta de fé?

Julio Severo disse...

Jorge, não tenho resposta para tudo, mas temos sempre de lutar. Eu não sou rico. Considero a riqueza espiritual a maior. Mas TODOS querem ter uma casa própria, condições de sobrevivência, etc.

Julio Severo disse...

A calvinistada está berrando que Hanegraaff nunca foi calvinista. Se ele não tivesse caído, os calvinistas iriam lembrar com muito orgulho que ele nasceu, foi criado e levado a Cristo em igrejas calvinistas. Mas, como ele caiu, virou arminiano!!! Entendo a principal razão para eles alegarem que ele nunca foi calvinista: o calvinista é prededestinado a ficar para sempre numa igreja presbiteriana ou calvinista. Se ele saiu, é porque não era um dos eleitos…

luciano betim disse...

De boa, amados, qual o real sentido dessa discussão toda? Se o homem foi calvinista ou arminiano, o que de fato muda?


Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. Fl 4.8-NVI

Abraços

Marlus Eduardo Pugsley disse...

Júlio, parabéns de novo. Acho que o evangelicalismo perde muito por tentar achar algo para seguir numa época tão conturbada que foi a Idade Média - e extrai tantas confusões como você comenta - em vez de olhar para 2000 anos atrás e também para o momento presente tão claro de apostasia revelada nas Escrituras - Laodiceia.

Marlus Eduardo Pugsley disse...

Calvino papapagaiou Agostinho, ele não escreveu nada de novo. Alguns que pensam ser intelectuais ou mais inteligentes por serem ditos calvinistas na vdd também estão sendo Romanos, só que no novo último império, alglo-saxão. O protestantismo da Inglaterra não deixa de ser a nova igreja-estado, por isso quem vai mergulhando nisso gosta tanto de política, Franklin. Vamos nos concentrar na nossa missão para esse milênio que é a proclamação e deixar o Governo para o próximo que será o reino real de Cristo na Terra, e esse está as portas - de olho no Islã - Franklin, estude com a mesma profundidade o Joel Richardson

Stanley Klimach disse...

Olá Julio! A paz do Senhor Jesus!

Sou leitor frequente dos seus artigos, te considero uma fonte segura e até divulgo o seu trabalho.
Às vezes quem está de fora pode enxergar algo que o outro não viu. Ou ainda melhor, Deus pode usar pessoas para falar conosco.
Estou escrevendo na tentativa de lhe mostrar que você não anda separando muito bem as coisas neste empenho em "defender" pentecostais (e ao que parece até neopentecostais) e suas correntes e "criticar"a postura dos reformados (calvinistas). Sou muito bem informado em conceitos políticos e pró família através de você. De fato Deus tem te usado para informar as perspectivas cristãs envolvendo tais temas. Todavia o meu chamado (assim digamos) é teologia. Eu fui arminiano, "defendi"o arminianismo por muitos anos. Um Certo dia, foi da vontade de Deus me iluminar e a teologia bíblica calvinista (dos 5 pontos especificamente) passou a ser minha convicção.
O ponto é que tenho percebido em seus artigos que você anda se equivocando em criticar calvinistas como o Franklin F. e outros no que tange a teologia da prosperidade. Júlio a teologia da prosperidade criticada pelos calvinistas como o Franklin, é aquela do neopentecostalismo, aquele absurdo em que quando alguém é pobre se trata de um tipo de maldição, este de fato é anti-bíblico.
Outrossim há algo muito importante que exige uma certa separação que ao meu ver você também não anda fazendo. É preciso separar o problema das heresias adotadas pela Igreja na carne (acatar o aborto, o homossexualismo etc) com as heresias que a Igreja enfrenta que são de cunho espirituais doutrinárias, difundidas por falsos mestres. Eu não estou aqui querendo dizer que uma é pior do que a outra, não obstante a preocupação do nosso mestre sempre foi neste aspecto, as heresias que atacam a Igreja espiritual, são para o povo de Deus em si mais perigosas, e é por este motivo que heresias como T. da prosperidade, pentecostalismo exagerado (sou continuista) etc, são os maiores alvos dos reformados.
Pra concluir Júlio, ainda que não concorde comigo, pense nisto. Qual é o ataque mais ameaçador a verdadeira Igreja de Deus, comprada com Seu próprio sangue? Os ataques na carne, em que no geral o mais leigos dos eleitos sabem discernir ser pecado (aborto, homossexualismo, recasamento etc)?! Ou os ataques doutrinários espirituais, o qual sabemos que só os espirituais podem discernir?! Do meu ponto de vista esta segunda ataca mais diretamente a Igreja invisível, o povo escolhido de Deus. Logo, pelo menos pra mim, (e creio ser a mesma preocupação dos demais calvinistas como o Franklin) é mais preocupante.
Lembremos por exemplo quando houve problemas graves de lascívia e impureza sexual em Corinto, Paulo foi direto e objetivo, é como se ele dissesse, "esta aqui é fácil irmãos, tá na cara a conduta pecaminosa". Mas e quanto a alertas de cunho doutrinário espiritual?? Pode-se dizer que são 90% de todo conteúdo das cartas. Entendeu?!
Quem continua em Igrejas que acataram o homossexualismo, aborto, fornicação etc em sua liderança, simplesmente está admitindo um tipo de Igreja conivente com o pecado pra sua vida, a percepção desta é sempre muito mais visível e claro do que as doutrinas de cunho espirituais.

Que Deus te ilumine! A paz do Senhor Jesus!

luciano betim disse...

Parece que está ocorrendo esse fato de algumas pessoas no protestantismo migrarem para o catolicismo...

Um pastor pentecostal sueco chamado Ulf Ekman e sua esposa foram recebidos na igreja católica, a semelhança do caso descrito neste blog, porém aqui a pessoa foi apara a igreja ortodoxa.

Minha avaliação é não se trata de algo pessoal. São irmãos que diante de Deus resolveram seguir na fé cristã dentro de uma outra perspectiva.

Um grande abraço

Savio Luan disse...

Segundo o tal de Stanley, assassinar crianças e ver dois marmanjos tranzar é o normal, agora Deus agir e tirar pessoas da miséria, isso que é "anormal", o "errado". Fim dos tempos.

Cicero disse...

Caro Stanley, a Biblia diz q Deus nao faz acepção de pessoas. Logo, a existência do inferno prova q a escolha É DO HOMEM, na questão da salvação, pois Deus não faz acepção de pessoas e levaria TODOS pro céu se dependesse Dele.