2 de julho de 2017

90% dos pastores evangélicos conservadores nunca pregam sobre o aborto, o movimento homossexual, desarmamento, Israel ou Oriente Médio


90% dos pastores evangélicos conservadores nunca pregam sobre o aborto, o movimento homossexual, desarmamento, Israel ou Oriente Médio

Jessilyn Justice
Um número extremamente elevado de 90 por cento dos pastores evangélicos conservadores dos EUA não pregam sobre o aborto, o movimento homossexual radical, desarmamento, Israel ou Oriente Médio.
O pastor Carl Gallups tirou suas informações de uma pesquisa de George Barna que avalia os pastores nos Estados Unidos.
“O que constatamos é que quando perguntamos a eles sobre todas as questões mais importantes de nossa época [90 por cento deles] nos dizem: ‘Sim, a Bíblia fala sobre todas essas questões.’ Então lhes perguntamos: ‘Olha, você está ensinando sua congregação sobre o que a Bíblia diz sobre essas questões?’ — e os números caem… para menos de 10 por cento de pastores que dizem que falarão sobre isso,” o próprio Barna disse.
Contudo, à medida que a cultura americana se distancia cada vez mais dos valores que existiam durante a fundação dos EUA, Gallups diz que é hora de os pastores assumirem uma posição.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: 90 Percent of Conservative, Evangelical Pastors Never Talk About This
Leitura recomendada:

11 comentários :

Jorge Santos disse...

Eu concordo que não pregam, a não ser de passagem, para exemplificar ou ilustrar a pregação. E no meu ponto de vista eles estão corretos quando se trata de política. Em primeiro lugar pq Jesus disse que a Casa de Deus e casa de oração (Mt 21:13). E em segundo lugar o próprio Jesus e os apóstolos só pregavam sobre o Evangelho. Agora fora da igreja, esses pastores deveriam se posicionar a respeito. Sobre pecados é diferente. Lembro de quando eu era adolescente, um pastor pregou sobre sexo anal pq irmãos que eram casados praticavam a sodomia. Naquela época não achei nada demais mas hoje considero necessária a pregação. Sodomia é pecado e ponto. Então aborto e homossexualismo devem ser pregados pq são pecados. Sobre Israel devemos amá-lo pq é o povo escolhido, a oliveira, e nós como zambujeiros, devemos temer biblicamente o Senhor. Portanto não podemos amar o sionismo em si mas o povo judeu.

Enéas Oliveira disse...

Em quanto isso na Suécia...Lei transforma em crime pregações que denunciem a homossexualidade e a ideologia de gênero como pecado.Até a expressão “amém” – oriunda do hebraico e que significa “que assim seja” – foi banida pelos supervisores da diretoria regional de ensino da cidade de Umeå, sob a alegação de que as práticas cristãs contrariam a lei de Educação do país.

Jorge Santos disse...

E lá está repleto de imigrantes muçulmanos.

Daniel V. Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Será que eles não se envergonham do Evangelho - o poder de Deus para salvar os que creem?
Será que eles pregam Cristo crucificado?

Enéas Oliveira disse...

O choque entre o islamismo e o movimento homossexual é inevitável?

Daniel V. Dias disse...

Julio, já achei um artigo seu de 2005 explicando bem detalhado!

Julio Severo disse...

Daniel, leia também este artigo:

Questões judaicas: um esclarecimento aos cristãos sobre sua percepção dos judeus

Jorge Santos disse...

Interessantemente pergunta. Eu tenho um palpite, nada teológico ou científico: acredito que vão se unir contra o cristianismo.

Enéas Oliveira disse...

O Júlio poderia responder essa questão!

luciano betim disse...

Boa noite irmãos

Se os pastores seguissem o lecionário, ou seja, pregar a Bíblia toda, obrigatoriamente teriam que passar pelas passagens que abordassem o assunto.